11º FestFoto de Porto Alegre abre com edição sobre “Gêneros em Trânsito Fotografias de Fronteira”

Evento vai até sábado (12) e conta com participação de fotógrafos renomados do Brasil e de outros países

  • Por: Lourenço Marchesan (3 º semestre) | Foto: Lourenço Marchesan (3 º semestre) | 09/05/2018 | 0

O Festival Internacional de Fotografia de Porto Alegre começou ontem (8) as atividades de sua 11ª edição, no Centro Cultural CEEE Erico Veríssimo, quarto andar, centro de Porto Alegre. Com o tema “Gêneros em Trânsito Fotografias de Fronteira”, o evento expõe trabalhos de fotógrafos brasileiros e estrangeiros, sendo aberto ao público em geral.

Organizado por Carlos Carvalho e Sinara Sandri, o FestFoto de POA tem “contribuído na formação de profissionais e na circulação de trabalhos e autores de fora daqui”, na opinião de Sinara.

A jornalista, conta que o tema desta edição foi escolhida a fim de destacar as mudanças do analógico para o digital e também com intuito de buscar mais espaço para as mulheres no meio da fotografia, mas devido às circunstâncias, este último fator acabou ficando apenas no conceito.

“Quando criamos o FestFoto, já foi meio que pensando nisso porque estávamos vivendo um momento de transição do analógico para o digital. Ano passado, propusemos este tema justamente para tentar trazer trabalhos e pessoas que estivessem um pouco na fronteira dos gêneros e da fotografia, e também para dar mais visibilidade às mulheres. Inicialmente, era um proposta de ter um peso maior de mulheres, mas não conseguimos formatar direito e acabamos ficando na parte do conceito, que era ser além do gênero masculino, do analógico etc”.

No primeiro dia da exposição, a fotógrafa Luisa Dörr, gaúcha de Lajeado e reconhecida internacionalmente, ministrou palestra às 19h. Conhecida por tirar fotos com iPhone, Luisa tem obtido destaque internacional e foi atração do primeiro dia.

Luisa Dörr comenta sobre sua trajetória

Ainda que o objetivo principal seja apresentar às pessoas obras com valores contemporâneos da fotografia, o FestFoto também é celebrado como ponto de encontro para trocar experiências do ramo e rever conhecidos. É o caso de Luiz Abreu, 72 anos, natural de Santiago (RS), que trabalhou como repórter fotográfico por 40 anos.”Já é uma referência em Porto Alegre. Circula gente de todo o mundo, de todos países e essa troca de informação e de experiência é muito rica. A gente se mantém mais ou menos atualizado do que está se produzindo por aí”.

Olhar atento de Luiz

Até sábado, serão realizados encontros e palestras com os participantes do evento. O festival também promove uma leitura de portfólios por fotógrafos renomados. No entanto, o profissional ou estudante que desejasse ter o seu trabalho lido e avaliado precisava se inscrever até 25 de fevereiro. Todas as sessões são gratuitas, com exceção desta.

A programação mantém os mesmo horários em cada dia, começando a partir das 18h. Somente no sábado que o evento inicia mais cedo.