A inovação é fundamental para o progresso social, diz professor Luis Humberto Villwock

A criatividade é um conceito evasivo, por isso o coordenador do CriaLab, Luis Humberto Villwock, acredita na palavra inovação. O CriaLab é um ambiente de promoção de co-criatividade da PUCRS, cujo objetivo é desenvolver a cultura do empreendedorismo inovador na universidade.

Durante uma palestra para alunos do Espaço Experiência no dia 7 de maio, Villwock explicou que criatividade e inovação dependem de boas conexões do indivíduo com a realidade: “Somente quando ele se adentra no mundo é que pode concretizar ideias benéficas.” Sua motivação para estudar o tema é, justamente, usar os recursos da universidade para influenciar positivamente a sociedade. “É a vontade de fazer um negócio que merecemos. É usar toda a infraestrutura que temos para canalizar uma força criativa para fazer a diferença evolutiva. Só que precisamos de pessoas que estejam a fim e comprometidas”, conclui.

Villwock acredita que o jornalismo pode contribuir para esse processo: “O legal é anunciar o avanço, o melhor desenvolvimento da sociedade.” Mas por que matérias sobre temas positivos, muitas vezes, não “vendem”? “Porque a gente não sabe comunicar”, responde o professor.

Para Villwock, embora o brasileiro tenda a pensar que o país tem poucos recursos, o principal obstáculo é a mentalidade das pessoas. A grande pergunta é: o que podemos fazer a serviço da sociedade? “Temos de aprender a pensar em gerar soluções para que as pessoas possam usufruir da inteligência”, ensina.

Lucas Pimenta, um dos alunos presentes, acredita que compreender o conceito de inovação pode ajudar as pessoas a atuarem de forma mais construtiva na sociedade: “Mudar cabe, sim, a qualquer tipo de profissional e a qualquer tipo de pessoa que compreende seu papel como cidadão e pensante.”

Texto: Marina Spim (2° semestre)