Ana Amélia se diz confiante de que estará no segundo turno

A candidata Ana Amélia Lemos (PP) esteve na PUCRS para entrevista no estúdio móvel da Rádio Gaúcha na manhã desde domingo (05), junto com o candidato a vice-governador, Cassiá Carpes (SDD), e a candidata ao Senado, Simone Leite (PP). A senadora afirmou ter certeza de que irá conseguir chegar ao segundo turno. Com referências ao futebol, visto que seu parceiro de chapa é ex-jogador e treinador, ela se confessou entusiasmada com a acirrada competição para o segundo turno. “A disputada aqui no Sul ficou muito emocionante. Cria-se mais entusiasmo e expectativas. É como um campeonato de futebol”, disse.

Líder das primeiras pesquisas eleitorais, a candidata experimentou uma queda nas sondagens mais recente. Ela atribuiu a influência da candidata à presidência da República, Dilma Rousseff, impulsionou a candidatura de Tarso Genro no Estado, em função das obras realizadas pelo atual mandato da presidenta.

Para Ana Amélia, o atual governador do Estado cometeu insinuações contra ela durante a campanha. “O candidato que tenta a reeleição utilizou de campanha suja, criminosa e com difamação. Tenho a consciência tranquila pelos meus atos, não cometi nenhuma ilegalidade. Esse processo é um desrespeito ao eleitor que prefere respeito, como fizemos com planos propositivos, do que essa agressão que não leva a nada”, garantiu.

A candidata ainda falou, aos jornalistas Rosane de Oliveira e Daniel Scola, que Tarso tentou conseguir um pedido para falar hoje sobre as denúncias contra Ana Amélia. “Tentou, inclusive, por meio da Justiça Eleitoral do Rio Grande do Sul, espaço de direito de resposta, mas teve o pedido negado, pois eu disse a verdade quando falei na televisão que tinha sido uma denúncia caluniosa”, disse sobre as denúncias de não trabalhar no cargo que ocupou no Senado em 1986.

Na passagem pela PUCRS, a candidata cruzou com Tarso Genro e a candidata à Câmara dos Deputados pelo PT, Maria do Rosário, com a qual trocou abraços.

Este material integra a cobertura realizada pelos alunos do Editorial J, laboratório do curso de Jornalismo da Famecos-PUCRS, com supervisão dos professores Alexandre Elmi, Fábian Chelkanoff, Fabio Canatta, Flavia Quadros, Ivone Cassol, Marcelo Träsel, Marco Antonio Villalobos, Tércio Saccol e Vitor Necchi.

Texto: Patrícia Lapuente (6º semestre)