Atividades em homenagem aos 27 anos da Coleta Seletiva trazem reflexão

Ações evidenciam a falta de conscientização e conhecimento das pessoas em relação ao destino do lixo

  • Por: Nathália Porto (2° semestre) | 06/07/2017 | 0
Unidade de Triagem.
Unidade de Triagem

Com o objetivo de conscientizar a população sobre a relevância de descartar corretamente os resíduos recicláveis, a Prefeitura de Porto Alegre promove até sexta-feira (7) atividades gratuitas em comemoração aos 27 anos do serviço de Coleta Seletiva do Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU). Por meio das secretarias dos Serviços Urbanos (SURB) e de Relações Institucionais e Articulação Política (SMRI), são promovidas visitas a usinas de compostagem, ações em escolas e debates.

Segundo dados do DMLU do ano de 2015, a quantidade diária de lixo coletado em Porto Alegre é de aproximadamente 2,2 mil toneladas. A capital conta com 19 unidades de reciclagem, porém apenas uma parcela dos resíduos destinados a estes locais pode ser usada, devido ao descarte inadequado de lixo.

Simone Pinheiro, representante das Unidades de Triagem (UTs) Reciclando Pela Vida e Anjos da Ecologia, alega que “os números são muito insignificantes”. Somente 4% do material sólido é reciclado, e desses 4% que chegam às UTs, cerca de 40% vai para o rejeito e é destinado ao aterro sanitário. Para Simone, o porquê disso é que muitos materiais que seriam recicláveis são descartados de forma incorreta. “Existe ainda uma grande necessidade de conscientização, através da educação ambiental, para a população separar adequadamente o que popularmente é chamado de ‘lixo seco’ e que denominamos material sólido reciclável”, explica.

A simples separação do lixo na hora do descarte beneficia a saúde, o meio ambiente e a geração de emprego. Simone revela que as pessoas não têm consciência da importância dos trabalhadores desta área: “E aí coloco também os carrinheiros, que são uma camada da população invisível”. Para ela, eles são os “verdadeiros agentes ambientais”.

Associação Reciclando Pela Vida.
Associação Reciclando Pela Vida

Nesse cenário, a conscientização das pessoas sobre a separação de lixo, a preocupação com o meio ambiente e a situação dos trabalhadores deste setor são questões que entram em cena. Simone diz que quase ninguém conhece essa cadeia de sustentabilidade e como ela funciona.

Segundo a representante, a renda média dos trabalhadores, com a crise, é em torno de R$ 1200,00. Para a melhora da situação, Simone reforça: “Gostaríamos de poder contar com o apoio da população para o descarte adequado do que é reciclável, para que possamos aumentar a renda e as vagas de emprego”.

A programação em homenagem à Coleta Seletiva prevê a participação da comunidade e ocorrerá até amanhã. Nesta quinta-feira, ocorreram o encontro do GT de Educação Ambiental, no Centro Histórico e a Intervenção Urbana e Humana Reciclando Atitudes, na Rua Graciano Camozzato, 185. Confira a programação de amanhã:

7 de julho / sexta-feira:

Aniversário de 27 anos da Coleta Seletiva

10h às 16h: Estação ReciclaPOA

14h30: Roda de conversa com triadores das Unidades de Triagem

15h: Cerimônia com Premiação às escolas municipais vencedoras da Gincana das Tampinhas. Local: Largo Glênio Peres – Centro Histórico