Atletas da terceira idade entram em campo

Jogos da terceira idade reuniram atletas de 60 a 86 anos no ginásio Tesourinha . O evento contou com diversas equipes de Porto Alegre

  • Por: Roberta Requia (1º sem.) | Foto: Camila Lara (4º sem.) | 28/10/2016 | 0

Ao som de marchinhas, tambores, pandeiros e chocalhos, a torcida não cansou e nem se calou. Eram 15 minutos de jogo, nove jogadores em uma quadra de vôlei com o objetivo de passar a bola para o lado adversário sem que a mesma caísse.

Esse é o câmbio, jogo adaptado do vôlei para idosos atletas participantes da 15º edição dos Jogos Municipais para a Terceira Idade de Porto Alegre, que aconteceu na em 21 de outubro, Ginásio Tesourinha, no bairro Menino Deus.

Tereza Silveira, a Terezinha – que completava 72 anos no dia do evento – contou estar acostumada com agitação na sua rotina. Esse é o terceiro ano que ela participa dos jogos. A aposentada pratica ginástica, joga câmbio, faz caminhadas e ainda ministra aulas de catequese e do coral de sua paróquia. A sua agitada rotina diária causa espanto na família, revela. “Vocês acham que eu gostaria de ficar só dentro de casa, sentada em uma cadeira de rodas para vocês me empurrarem? Não, então, eu saio porque se eu ficar só dentro de casa, fico doente”.

Um estudo feito pelo Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (Iamspe), apontou que idosos que praticam atividades físicas procuram menos o médico do que os sedentários. O professor aposentado Celso Costa, 77 anos, relata que participa de vários grupos de lazer relacionados ao esporte. Além da atividade esportiva, os grupos também organizam almoços, jantares, viagens e bailes. “Tudo envolve um projeto de lazer e nos tornamos uma engrenagem só. E isso deixa a cabeça tranquila. Quando chega à noite, tu dorme sem te preocupar com nada, com dor, doença, nada”, conta o aposentado após ter jogado quatro partidas de câmbio em uma única tarde. Ele ainda costuma praticar caminhadas, ginástica, natação e futebol. “Isso tudo é muito bom. Aqui,a gente caça as energias boas e bota as ruins pra fora. Jogamos ali na quadra e perdemos, saímos tristes. Viemos aqui (para a arquibancada) e pronto, já passou tudo”, complementa Vera Regina, de 61 anos, líder da equipe do Centro de Comunidade Vila Restinga (Cecores).

A Organização Mundial da Saúde (OMS) adverte sobre inúmeras doenças tratadas ou prevenidas com a prática de atividades físicas na terceira idade, como infarto, acidente vascular cerebral, infecções pulmonares, diabetes e doenças relacionadas a problemas ósseos e musculares. A OMS ainda aponta os benefícios que traz a prática esportiva. O social, onde o idoso aumenta seu círculo de convivência, se sentindo incluído na sociedade; neuropsicológico, pois exercícios melhoram o humor, diminuem a ansiedade, previnem a depressão e estimulam a memória e a aprendizagem; e o físico, onde há o aumento da capacidade cardiopulmonar e da flexibilidade no crescimento da massa muscular. O exercício físico também diminui o percentual de gordura além de controlar o colesterol e a glicemia (taxa de açúcar no sangue), entre outros benefícios.

Confira também a galeria de fotos:

15º Jogos da Terceira Idade