Câmara de Vereadores decide que serviços como o Uber estão proibidos em Porto Alegre

  • Por: Kamylla Lemos (3º semestre) | Foto: Annie Castro (3º semestre) | 25/11/2015 | 0
Legenda: Taxistas de Porto Alegre se manifestaram durante a votação   Foto: Annie Castro (3º semestre)
Taxistas de Porto Alegre se manifestaram durante a votação

O transporte remunerado de passageiros em veículos particulares cadastrados por aplicativos ou plataformas semelhantes, como o serviço Uber deve ser proibido em Porto Alegre. Com 22 votos a favor e nove contra, a PLL Nº 145/15 foi aprovada na quarta (25/11) pela Câmara de Vereadores.

Recebido com aplausos, o vereador Cláudio Janta (Solidariedade), autor do projeto, afirmou não ser contra o Uber, mas contra o descumprimento da lei. Uma de suas intenções é que a frota de táxis de Porto Alegre melhore e que a EPTC seja mais sensível à isso. Para ele, a permissão do Uber na capital traria problemas. “Isso vai permitir que tenha outros sistemas. Eu posso ter um sistema de lotação, de ônibus, lancha rápida, de advogados, jornalistas. Aí nós vamos acabar com todas as regulamentações de profissões”, explicou o vereador.

Além de vereadores, o plenário estava lotado por taxistas que acompanhavam a votação. Alguns seguravam cartazes que mostravam sua indignação com o novo serviço de transporte. Antonio Carlos, 60 anos, era um desses. Trabalha no ramo há 37 anos e acredita que o problema do Uber é a falta de segurança do aplicativo. “Quem vai aderir à esse tipo de sistema vai ser o mau motorista de táxi, que vai sair do táxi e tentar a sorte em ser patrão”, afirmou.

Um dos poucos votos contra, o vereador Nereu D’avila se mostrou à favor da nova tecnologia. Entre vaias, afirmou em seu discurso que Porto Alegre vai ser a capital do atraso. “O projeto beneficia e cria uma reserva de mercado só para táxis. O que se está fazendo aqui hoje é proibir a modernidade”, disse D’avila. Por causa de sua opinião, houve alguns tumultos entres os taxistas e ele. O pequeno grupo de pessoas que eram à favor do Uber saíram logo no início da votação.

Os serviços do Uberx — uma modalidade do Uber, 30% mais barato que o normal — começaram em Porto Alegre na última quinta-feira (19). O aplicativo vem sendo tratado como clandestino pelo governo e pela Empresa Pública de Transporte e Circulação, a EPTC, que pretende pedir carros pelo aplicativo para multar motoristas e apreender veículos em flagrante.

A proibição vigorará até o dia 21 de julho de 2017.