Campanha de castração de animais abandonados quer evitar bichos na rua

Blitz Castra POA conscientiza população sobre a importância deste cuidado

  • Por: Mariana Gomes Puchalski (4º semestre) | Foto: Arquivo Pessoal/Lucia Helena da Luz | 07/05/2018 | 0

Castrar é proteger. A castração de cães e gatos machos e fêmeas impede ou reduz os riscos de desenvolverem determinadas infecções e tumores, salienta a veterinária Mírian Gomes Soares da Clínica Veterinária Canni e Gatti. Neste casos, o comportamento dos animais castrados tende a melhorar. “A vantagem de fazer a castração é o controle populacional para diminuir o número de animais na rua”, explica a veterinária.

Para evitar o aumento de animais abandonados nas ruas, o projeto Castra POA lançou campanha de conscientização sobre a importância da castração. A idealizadora do projeto é Lucia Helena da Luz conjuntamente com um grupo de voluntários da Associação Cão da Guarda.

Iniciado em 11 de março de 2017, o objetivo é realizar castrações de animais de rua e conscientizar as pessoas sobre a importância da castração. “Resgatar um animal de rua e saber que cada dia nasce centenas de cães e gatos sob total abandono, me fez repensar em todo o trabalho inicialmente desenvolvido. Então, criei o Castra POA com o intuito de resolver o problema na raiz”, conta a coordenadora Lucia Helena.

O projeto tem critérios de seleção para levar os animais para castrar, como estar em risco de morte, sofrimento intenso e cadelas no cio ou prenhas.

Para poder fazer as castrações dos animais abandonados em clínicas de Porto Alegre, o grupo promove Blitz Castra POA, uma ação pública que acontece nas sinaleiras de vias de grande circulação de carros, onde distribuem material educativo por meio de um flyer. Explicam os benefícios da castração e, no verso do flyer, os mitos e verdades sobre o tema e os dados de contato do Castra POA.

Flyer de divulgação da 5° Blitz Castra Poa – Praça da Encol
Foto: Arquivo Pessoal/Lucia Helena da Luz

Na sinaleira é recolhido o dinheiro que é revertido para realizar as castrações dos animais de rua, controlando a reprodução da população animal. “Tentamos sensibilizar as pessoas com uma fala breve sobre a importância da castração e que as pessoas doem moedinhas, para que possamos castrar os animais de rua,” explica Lucia Helena.

Em algumas blitz também é aceito doações de ração, cobertores e medicamento pet para os animais protegidos pelo projeto.

A coordenadora Lucia Helena conta que em torno de 40 a 50 pessoas por blitz fazem contato após receberem o panfleto educativo. A cada 100 reais que é arrecadado, se consegue castrar em média um animal. Salienta que tem conseguido em média 500 reais na blitz, então é castrado 5 animais por mês.

O Castra POA também realiza um bazar todo mês com brechó e lanches vegetarianos. Todo o dinheiro arrecadado no bazar é revertido para a manutenção e castração dos animais em situação de abandono do projeto.

Aqueles que impulsionam o trabalho do Projeto Castra POA realizando divulgação, e, em especial, cuidando temporariamente dos animais são os voluntários.

A voluntária Viviam Mello, conta que conheceu o projeto desde o seu processo de surgimento, quando foi apresentada a ideia aos voluntários e desde então, participa. “Decidi me dedicar ao Castra Poa, pois acredito que essa é a única saída efetiva para diminuir o abandono e consequentemente, o sofrimento de animais que vivem nas ruas ou estão vulneráveis”.

Atualmente, o projeto Castra POA conta com 10 voluntários no papel, mas efetivos, cinco. Os outros cinco, realizam colaborações ocasionais.

Para a voluntária Viviam, as pessoas abandonam os animais por saber que nada irá acontecer. Segundo ela, “as punições para este tipo de crime são brandas demais. Não há uma fiscalização ou monitoramento. A proteção animal não tem muito apoio em Porto Alegre”.

Para quem quiser contatar o Castra POA, a fim de adotar, realizar doações, tornar-se voluntário ou adquirir qualquer informação. Podem acessar a página do Facebook  ou através do telefone (51) 99624-7176.