Campanha de vacinação contra sarampo chega também às universidades

Em Porto Alegre, Secretaria Municipal da Saúde intensifica o combate à doença com a imunização de jovens de 15 a 29 anos

  • Por: Luísa Dornelles (2º semestre) | Foto: Cristine Rochol/PMPA | 01/12/2018 | 0

A vacinação contra o sarampo em Porto Alegre, neste início de dezembro, está imunizando pessoas em quartéis, escolas e universidades. A campanha iniciou dia 26 de novembro e continua até terça-feira (04/12). A presença de equipes da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) nestes ambientes se deve ao foco da campanha, a faixa etária mais atingida pela doença, pessoas de 15 a 29 anos. O grupo foi priorizado na ação de agora, devido ao maior percentual de vítimas dentro desse limite de idade.

A iniciativa foi retomada em função de um surto que ocorre na cidade, desencadeado em abril deste ano. Como informa Sônia Coradini, enfermeira chefe da Equipe de Vigilância das Doenças Transmissíveis, até o momento, foram confirmados 38 casos de sarampo em Porto Alegre. Ela diz que, antes disso, a última ocorrência local tinha sido em 2010, e uma outra em 2011, sendo essa importada. Há registro de um caso envolvendo criança, sem episódios com vítimas idosas. Em Porto Alegre, não houve óbitos relacionados a nenhuma das ocorrências.

Como relata Sônia, a prevenção do sarampo é realizada através de vacinas. Essa doença é altamente contagiosa e sua transmissão acontece através do contato direto com gotículas de saliva do indivíduo doente ou, também, de objetos infectados. Pode, ainda, levar o indivíduo à óbito, além da possibilidade de comprometimento neurológico e pulmonar. “Desde que iniciou o surto de sarampo, a gente tem divulgado e chamado a atenção da população para que procure as unidades de saúde, para verificar se possuem as duas doses de vacina, que é a recomendada da tríplice viral. Essa é a faixa etária mais atingida mas, mesmo assim, a gente fez para toda a população”, explica Sônia.

A especialista ainda detalha que há pessoas que circulam nas ruas no período de viremia (transmissão), sem saber que estão doentes, podendo contaminar locais e objetos por onde passam. Além disso, foi possível identificar relação de alguns dos registros com o caso índice (como são chamados os que desencadeiam uma série de eventos), mas não foi viável concluir o mesmo em relação a todos. Assim, a vacinação se apresenta essencial para a prevenção da doença e de suas intercorrências, ressalta Sônia. Segundo ela, a SMS não tem um número exato de indivíduos estimados a vacinar, já que isso depende da adesão das pessoas, mas pretende imunizar o que for possível.

Os próximos horários e locais percorridos pela campanha são:

3/12 (segunda-feira): Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) – Campus Centro: Av. Paulo Gama, 110, Farroupilha – das 18h às 20h

4/12 (terça-feira): UFRGS – Campus Agronomia. Av. Bento Gonçalves, 7712, Agronomia – das 17h às 20h.

O ônibus da SMS já esteve também na Pontifícia Universidades Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), na quinta-feira (29/11) e na Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), na sexta-feira (30/11).