Com novidades, aplicativo Lulu é relançado no Brasil

Texto: Kamylla Lemos (4º semestre)

O aplicativo Lulu, lançado em 2013, está novamente disponível nas lojas virtuais após o envolvimento em polêmicas, devido ao inquérito civil público (ICP) contra o Facebook e a proprietária do Lulu – que era interligado com a rede social. O que motivou o ICP foi a denúncia de que aplicativo estaria permitindo ofensas ao direito de personalidade. O Lulu permitia que mulheres avaliassem os homens, através de notas e hashtags, como, por exemplo, “paga a conta”, “acredita em amor” e “confiável”.

Rapidamente, Lulu tornou-se uma febre. Em 2013, ele foi o aplicativo mais baixado do Brasil, com cerca de 3 milhões de garotas e 500 mil homens registrados.  “Por causa do tremendo sucesso, nosso sistema sobrecarregou e não deu conta de atender toda aquela demanda”, diz Carol Andreis, assessora de imprensa do Lulu. A grande demanda fez a equipe retirar o Lulu do ar e só voltar em 2015.

No dia 20 de julho, o aplicativo voltou para as lojas se repetindo o êxito de 2013. Em apenas uma semana, ele já foi um dos quatro mais baixados na App Store brasileira, ficando na frente de aplicativos como Twitter, Pinterest e Periscope. Apesar de ter mais garotas registradas, é o público masculino quem acessa mais. Em média, as mulheres entram no Lulu seis vezes ao dia, enquanto os homens fazem 11 acessos, informa a assessora de imprensa.

O software é fácil de usar. Uma das grandes mudanças já começa no cadastro. Ao contrário do anterior, no qual o cadastro era feito pelo Facebook, agora, a inscrição é apenas pelo número de celular. Para avaliar basta procurar o nome da pessoa interessada, onde aparecerá um perfil com fotos, a nota geral dela, as hashtags que deram e os comandos avaliar, conversar, compartilhar e favoritar.  Além disso, é possível ver dados como a idade, status e localização.

O aplicativo ainda conta com um menu chamado “Verdade Pura”, novidade nessa versão e que lembra bastante o aplicativo Secrets. Nele, o usuário pode revelar segredos, fazer perguntas sobre relacionamentos e sexo, interagir com as pessoas, tudo no anonimato. Todos os participantes do Lulu podem ler a Verdade Pura e seus comentários.

O Lulu serve também como um complemento para o seu concorrente Tinder. Se no Tinder, o usuário conhece alguém e conversa com a pessoa, o Lulu funciona como uma fonte de informações sobre essa pessoa. “Quando você conhecia alguém por meio de amigos ou família, era fácil ter referências dessa pessoa. Mas quando você conhece alguém por um aplicativo, no fim das contas, é um completo estranho da internet. O valor do Lulu está em adicionar essa camada de referências que faltava na era do app dating”, explica Carol.

Na nova versão do aplicativo é oferecida a possibilidade de as mulheres mandarem mensagens para os homens avaliados, basta ir no perfil de quem ela quer conversar e clicar no menu conversar. Também há vantagens para quem é avaliado, visto que, agora, eles podem se registrar para baixar e usar. Mas para ter acesso às suas avaliações de forma mais detalhada é necessário pagar dois dólares. Com isso, o usuário pode ver sua pontuação média de humor, desempenho sexual, beijo e muito mais. O aplicativo é gratuito e está disponível para IOS e Android.