Comida e agasalho para moradores de rua em Porto Alegre

Grupos voluntários promovem ações que acontecem ao longo de todo o ano e são intensificadas com a chegada do frio

  • Por: Samira Rodrigues (3º semestre) | Foto: Felippe Morais (3º semestre) | 15/06/2017 | 0
Voluntários da Capital se reúnem para distribuir alimento e agasalhos
Voluntários da Capital se reúnem para distribuir alimento e agasalhos

Com o inverno se aproximando, moradores de rua ficam ainda mais vulneráveis ao frio e à fome. Além das ações de acolhimento públicas da Fundação de Assistência Social e Cidadania (FASC), as pessoas desabrigadas em Porto Alegre também contam com o auxílio de cidadãos voluntários que se reúnem para prestar serviço à comunidade de rua. Como o Centro-Histórico é a região de maior concentração de moradores de rua (80,8%), a maioria dos grupos filantrópicos também atua nessa área.

Segundo dados levantados entre setembro e outubro de 2016 pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), foram encontrados 2115 adultos em situação de rua em Porto Alegre, dos quais 1758 aceitaram participar da pesquisa da universidade. Entre os entrevistados, 1753 eram do gênero masculino e 100, do feminino. A pesquisa identificou 27 crianças e adolescentes na rua, número que teve uma diminuição percentual de 92,9% desde o estudo realizado em 2008.

Um projeto voluntário que presta auxílio a desabrigados da cidade é o Prato Feito das Ruas. A iniciativa nasceu em agosto de 2016 com objetivo de oferecer refeições prontas gratuitamente para pessoas em situação de rua, sem julgamentos e sem vínculos políticos ou religiosos. No começo, apenas quatro pessoas com experiência em voluntariado serviam refeições para 50 assistidos.

“Atualmente, somos um grupo de 50 voluntários e servimos, em média, 500 refeições por encontro”, relata a porta-voz do projeto Rose Carvalho. O grupo dispõe de setores de coordenação para cada atividade: mesa principal, sobremesa, limpeza, doação de roupas, relações públicas, entre outros. “Não temos um chefe, tudo é decidido através de votação em reunião”, explica.

O Prato Feito das Ruas se reúne todos os sábados às 11h sob o viaduto Imperatriz Leopoldina, na Av. João Pessoa com a Av. Loureiro da Silva.

A idealizadora do projeto Sopão Solidário, Aline Rodrigues, conta que a sua iniciativa de dedicar seu tempo livre a ajudar o próximo surgiu há cinco anos. Ela despretensiosamente criou um evento no Facebook para organizar um sopão para moradores de rua, convidou seus amigos, que, por sua vez, convidaram outros amigos. O resultado foi que, em três dias, eles obtiveram todos os ingredientes para a refeição e muitos agasalhos.

“Umas das regras de entrega é sair depois das 21h, para podermos atingir o pessoal que não entrou nos albergues”, diz Aline. A organizadora relata que os desabrigados que recebem comida uma vez não pegam de novo para não tirarem a oportunidade de outro que ainda não comeu.

Hoje, o Sopão Solidário atua nos bairros Menino Deus e Azenha quinzenalmente e distribui sopa e agasalhos para cerca de 70 pessoas. Com relação à chegada do inverno, Aline observa que as pessoas tendem a ajudar mais no inverno: “O frio traz junto a solidariedade. Acredito que as pessoas se sensibilizam mais para ajudar ao próximo”.

 

Prato Feito das Ruas

Quando: todos os sábados às 11h

Onde: sob o viaduto Imperatriz Leopoldina (na Av. João Pessoa com a Av. Loureiro da Silva)

Contato: (51) 998472398 com Rose/ (51) 998040143 com Jane

Mais informações na  Página do Facebook

 

Sopão Solidário

Quando: a cada duas semanas a partir das 21h (sem dia fixo)

Onde: bairros Menino Deus e Azenha

Contato e mais informações pela Página oficial do Facebook