TRE e Brigada Militar divulgam dados diferentes sobre prisões de crimes eleitorais no Rio Grande do Sul

Em entrevista, secretário judiciário afirmou que não houve nenhuma prisão

  • Por: Carlos Henrique Silva (1º semestre) e Eduarda Endler (8º semestre) | Foto: Rawpixel/Unsplash | 28/10/2018 | 0

Neste domingo (28) de segundo turno das Eleições 2018, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou 35 prisões por propaganda eleitoral, que é proibida no dia da eleição, no Brasil. O maior número foi registrado no Pará, estado do norte do país, com 17 ocorrências.

No Paraná, um eleitor foi preso após publicar a foto do seu voto na urna em uma rede social. A situação ocorreu na manhã deste domingo (28), em Porto Amazonas. De acordo com a RPC Ponta Grossa, ele foi liberado depois de assinar um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).

Já no Rio Grande do Sul, o secretário judiciário do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Rogério Vargas, afirmou que, até o momento, não há nenhuma prisão por crime eleitoral no Estado. “Não temos nenhuma prisão realizada até o momento, apenas detenções em razão de filmagens de urna eletrônica, discussão entre eleitor e mesário, mas tudo dentro de um número que não é desarrazoado, que não reflete a mesma situação que ocorreu no primeiro turno. Podemos caracterizar como extremamente tranquilo o processo de votação deste segundo turno”, salienta o secretário.

Ao contrário do que foi afirmado pelo profissional do TRE-RS, a Brigada Militar do RS, divulgou, às 14h05, em seu perfil oficial no Twitter, a ocorrência de uma prisão em flagrante por transporte irregular de eleitores e 13 ocorrências de menor potencial ofensivo por crimes como boca de urna, ameaça a mesário e violação do sigilo do voto. De acordo com a assessoria da BM, a prisão aconteceu em Barra do Guarita, no norte do Estado.

Questionada sobre a divergência de informações com o TRE, a assessoria de comunicação da BM afirmou que “pode ser que essa informação da prisão não tenha chegado até TRE no momento em que ele foi questionado”.

No primeiro turno das Eleições 2018, a Brigada Militar divulgou o número de 238 prisões por crimes eleitorais e lesão corporal no Rio Grande do Sul, ocorridas no dia 7 de outubro. O balanço, chamado de Operação Eleições 2018, teve o levantamento de 173 casos de boca de urna, 34 divulgações de propaganda eleitoral, três ocorrências de desacato a autoridades, três casos de desordens e mais outros 24 crimes eleitorais diversos.

 

Assista à fala do secretário judiciário do TRE-RE ao Editorial J: