Descubra seu local de votação no TSE

Algumas seções eleitorais mudaram de localização, por isso leitor precisa se informar

  • Por: Arthur Löser (2º semestre) | Foto: Divulgação/TRE | 02/10/2018 | 0

Os cerca de 8,3 milhões de eleitores aptos a votar no Rio Grande do Sul podem conferir a localização das suas seções eleitorais consultando o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) conforme segue aqui.  É importante verificar o local de votação, pois alguns locais sofreram alteração, caso da Escola Estadual Alberto Bins, localizada no bairro Santa Tereza, em Porto Alegre, fechada em 2018. Entretanto, nenhum tipo de notificação está sendo enviada aos eleitores quanto às modificações.

Para conferir o seu local de votação, basta acessar este link e preencher o nome, a data de nascimento e também o nome da mãe. Após fazer isso, é só clicar em consultar. Somente em Porto Alegre, o número de eleitores gira em torno de um milhão e cem mil pessoas, de acordo com dados disponibilizados pelo TSE que, no entanto, não detalha quantos seções tiveram alteração de local.

 

Cancelamento de títulos

Parte dos eleitores de 15 municípios gaúchos não poderão votar nas eleições deste ano. Conforme confirmou o Supremo Tribunal Federal (STF), em sessão de 26 de setembro último, cerca de  720 títulos eleitorais destes municípios foram cancelados devido ao fato dos eleitores não terem realizado o cadastramento biométrico que é obrigatório para estes cidades na atual eleição.

No Rio Grande do Sul, as 15 cidades com obrigatoriedade do voto biométrico são: Teutônia, Carlos Barbosa, Constantina, Agudo, Eldorado do Sul, Ivoti, Caçapava do Sul, Garibaldi, Nova Prata, São Jerônimo, São José do Hortêncio, Taquari, Três de Maio, Venâncio Aires e Vera Cruz. Nestes municípios, os eleitores que não fizeram o cadastro biométrico nos prazos estabelecidos não poderão votar no primeiro e segundo turno.

Em Porto Alegre, apenas 191.054 (17,37%) eleitores têm o cadastramento. O eleitor porto-alegrense que não fez o cadastro pode votar porque essa exigência se tornará obrigatória apenas em 2022. A meta é registrar todos os eleitores do estado até as eleições de 2022. Até o momento, 4.911.213 (59,74%) eleitores gaúchos já estão castrados.