Difícil supor as causas da queda do avião

Após 24 horas da queda do avião que provocou a morte de Eduardo Campos, candidato à presidência pelo PSB (Partido Socialista Brasileiro), ainda não há informação sobre as causas do acidente ocorrido na manhã de quarta-feira (13). O jato Cessna 560XL prefixo PR-AFA estava com a documentação em dia e condições regulares de tráfego aéreo, segundo esclareceu a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

“Enquanto não sai um relatório oficial do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), não há como afirmar o que aconteceu, são apenas suposições”, frisou Elones Fernando Ribeiro, professor de Ciências Aeronáuticas da PUCRS. O objetivo do Cenipa é apurar os possíveis motivos técnicos da queda da aeronave.

Ribeiro analisa as especulações e alega que quedas com esse modelo de jato particular não são frequentes, mas prefere não posicionar-se antes de um pronunciamento oficial dos órgãos supremos de aviação sobre o acidente. “É muito difícil e até constrangedor falar alguma coisa sem saber. Ainda não há nada que possa comprovar que o avião caiu por falha técnica ou humana. Sem investigação não há como saber a causa específica. É muito fácil culpar o piloto, já que a nave estava em bom estado”, acrescenta.

O Cessma 560XL é um jato bimotor muito utilizado por executivos, podendo voar até 815 km/h e com autonomia de voo de mais de 3400 quilômetros. Segundo o jornal Zero Hora, desde o início oficial da campanha, em 6 de julho, até quarta-feira, Eduardo Campos e sua equipe percorreram mais de 36 mil quilômetros em quatro das cinco regiões do país, sendo o candidato que mais viajou, tanto em quilometragem como em número de cidades visitadas.

O ano de 2014 tem até agora a maior relação de vítimas por acidente aéreo, segundo 72 anos de dados coletados pelo Aviation Safety Network. Em 12 acidentes, 761 pessoas perderam suas vidas. Além disso, 2014 já acumula, nos primeiros sete meses, mais do que o dobro das vítimas do ano anterior, que teve 265 mortes em 29 acidentes.

Texto: Gabriela Giacomini (2 semestre) e Sofia Schuck (2 semestre).