Doria ataca Lula em palestra e defende gestão

O prefeito paulista reforçou temas como as privatizações e provocou o ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva

  • Por: Italo Bertão Filho (3° semestre) | Foto: Felippe Morais (3° semestre) | 10/04/2017 | 0
IMG_2912 (1)
Doria abriu os trabalhos do 30° Fórum da Liberdade de Porto Alegre


Com ares de
popstar, o prefeito de São Paulo, João Doria Junior, abriu os trabalhos da 30ª edição do Fórum da Liberdade na tarde desta segunda-feira na PUCRS. Durante quase uma hora, Doria fez da palestra inaugural do evento um palanque. Seu principal alvo foi o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Além disso, o tucano aproveitou para destacar os feitos de sua gestão até o momento, que completa 100 dias nesta segunda.

“Eu quis sair da zona de conforto”, explicou o prefeito sobre a iniciativa de concorrer à prefeitura paulistana. Ao falar do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), que classificou como “democrata”, Doria disse que não era o candidato preferencial do governador e que, mesmo começando com baixos índices, venceu a eleição no primeiro turno. O tucano questionou também a posição dos meios de comunicação em relação à sua candidatura. “Eles questionaram: ‘o que um almofadinha, coxinha, vinha fazer na vida pública?’”, relatou. Doria reafirmou que “não faz gestão pelo retrovisor”, citando como exemplo disso o fato de ter convidado para formar sua equipe ex-secretários dos governos de Fernando Haddad (PT) e Gilberto Kassab (PSD).

Uma das marcas da administração Doria são as privatizações. Na palestra, o prefeito de São Paulo reafirmou a importância do programa de desestatização que quer aplicar na gestão da capital paulista. “O estado não tem que administrar centro de convenções”. Pai de três filhos — João Doria Neto, de 21 anos; Carolina, 14 anos; e Felipe, 13 anos — Doria sustentou que deixava aos filhos um legado de “moral, decência e caráter”. Em seguida, lembrou das dificuldades financeiras que sua família sofreu após o patriarca, João Doria, se exilar na França durante o regime militar.

O momento em que a temperatura mais subiu durante a palestra foi quando o prefeito desferiu ataques ao ex-presidente Lula. “Lula, você não é o salvador de nada”, disse o tucano. Doria atacou também o período em que o PT esteve à frente do governo. “A bandeira brasileira não é vermelha, é verde amarela. O meu país é o Brasil!”, afirmou, para delírio da platéia. Não é a primeira vez que Doria aparece publicamente criticando o ex-presidente. Em 2007, o tucano foi um dos criadores do movimento “Cansei!”, que responsabilizava Lula pelo caos aéreo que marcava o país na época — em menos de um ano, dois aviões de grande porte sofreram acidentes no país. Dez anos depois, Doria ainda ataca Lula. Em 26 de março, chamou o ex-presidente de “o maior cara de pau do Brasil”.
Após sair às pressas do evento, devido a compromissos já agendados, Doria voltou para São Paulo ainda durante a tarde. No fim do dia, está prevista uma viagem do tucano a Seul, capital da Coreia do Sul.