Vereadores debatem sobre presença de doulas no parto de gestante em hospital

Câmara Municipal examina projeto que obriga hospitais aceitar a presença de doula nas salas de parto

  • Por: Roberta Requia (1º sem.) | Foto: Annie Castro (5º sem.) | 01/11/2016 | 0

_mg_0620

A Câmara de Vereadores de Porto Alegre começou examinar, na sexta-feira (28/10), projeto de lei que permite a presença de uma doula nos hospitais antes, durante e após o parto. Mães com seus bebês e doulas tomaram conta das galerias da Câmara. Por falta de quórum, a votação não aconteceu. O projeto deveria voltar à pauta na segunda-feira (31), porém devido a problemas de saúde da vereadora Jussara Cony, autora do mesmo, precisou ser adiado. 

Doula vem do grego e significa “mulher que serve”. Uma doula jamais interfere no trabalho do médico e sua equipe, pois seu trabalho concentra-se unicamente em auxiliar psicológica, emocional e fisicamente a parturiente a lidar e suportar a dor de dar à luz. Ela acompanha a gestante durante a gestação, no pré-parto e pós

Maria José é doula há doze anos e é uma das apoiadoras do projeto
Maria José é doula há doze anos e é uma das apoiadoras do projeto

Maria José, de 56 anos – doula Zezé – comenta que os vereadores contrários ao projeto não avaliam e desconsideram a opinião e a natureza da mulher como cuidadora. “A vida inteira foi assim. Antes da mulher ter uma ocupação profissional, eram as mulheres da família que cuidavam umas das outras. Quando os partos passaram para dentro dos hospitais, a mulher ficou desatendida porque o médico não tem esse tempo na preparação do parto, o cuidado físico, emocional e  espiritual que temos com a mulher“.  

Doula Zezé conta que teve sua gestação aos 40 anos e foi acompanhada por uma doula, pois sua gravidez era considerada de alto risco. também doula e bióloga Janaína Farias acrescenta que o trabalho dessas mulheres é ser uma personagem transparente durante a hora do parto, já que o treinamento as ensina a serem invisíveis perante o trabalho dos médicos: “Não há nenhum tipo de intervenção durante o trabalho, como dizem os vereadores que são contra. Isso mostra desconhecimento sobre o papel da doula.” 

Criadora do projeto de lei,  Jussara Cony, vereadora pelo PCdoB
Criadora do projeto de lei, Jussara Cony, vereadora pelo PCdoB

Jussara Cony afirma que a falta de quórum aconteceu devido a articulações dos opositores. Relata que foram realizadas audiências públicas sobre o projeto, e que nestas foram instituídas quatro emendas que sistematizariam as melhorias e modificações produzidas durante as audiências realizadas. “Através das emendas, tudo que estava sendo discutido nas audiências públicas e tudo que veio de contribuição ao projeto foram absorvidas nos sete artigos que englobam as demandas da sociedade e dos demais movimentos das doulas. Inclusive as categorias da saúde que presenciaram as audiências.“, afirmou a vereadora do PCdoB. 

Vereador Dr. Thiago, do DEM é contra o projeto
Vereador Dr. Thiago, do DEM é contra o projeto

O vereador do DEM Thiago Duarte afirma que é contra a modelagem em que o projeto foi feito, e que não concorda que alguém sem vínculo com o hospital tenha acesso às salas de pré e pós-parto. Duarte, que também é médico, diz que o projeto apresenta inúmeras incorreções e que deveria ser retirado da Câmara para ampliar a discussão com a sociedade. Ele afirma que se há necessidade de apoio, esse deve ser feito por um psicólogo ou obstetra qualificado. O apoio deve ser dado pela família. Nós temos que parar de terceirizar as coisas. Nós não queremos participar do nascimento do nosso filho, e então terceirizamos esse serviço, isso está errado. Isso é contra a família, contra a constituição básica da família.” 

Keyla Pereira, de 28 anos, relata que durante suas duas gestações e partos, os dois filhos nasceram acompanhados por doulas. O mais velho de dois anos no Hospital Divina Providência, e o mais novo de cinco meses em casa, sendo realizado por duas enfermeiras obstétricas. Eu considero a presença da doula essencial, pois ela fica do nosso lado todo o tempo, nos ajuda a lidar com o que estamos passando como dor da contração, a dúvida, com toda a dificuldade na hora do parto. E a gente fica mais relaxada.