Eleição para DCE da PUCRS tem dia alterado

Votação estava marcada para 10 e 11 de abril, mas devido à impugnação, foi adiada para terça (11) e quarta-feira (12). Três chapas estão na disputa

  • Por: Pedro Spieker (1º semestre) | 10/04/2017 | 0

A eleição que definirá o grupo político que vai dirigir o Diretório Central dos Estudantes (DCE) da PUCRS em 2017 deve ocorrer nesta terça (11) e quarta-feira (12), conforme decisão tomada nesta segunda (10) pela comissão eleitoral. Três chapas estão inscritas: “Mais vale o que será”; “Eclipse” e “Mãos Dadas”.

O processo de votação estava marcado para começar nesta segunda se estendendo até terça-feira (11), mas uma das chapas encaminhou impugnação judicial que suspendeu a votação na manhã de segunda. As urnas estarão disponíveis nas unidades acadêmicas, com horário de abertura dependendo do funcionamento de cada prédio, mas todas têm encerramento às 22h.

O adiamento por um dia se deu por iniciativa da chapa 3 que alegava existir um acordo inicial de que a eleição seria nos dias 11 e 12 de abril. A antecipação de um dia teria ocorrido em razão do empréstimo das urnas eletrônicas do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e, em princípio, com a concordância das três chapas.

Na sexta-feira (7/4), três participantes das chapas concorrentes ao DCE da PUCRS, a 1 (Mais Vale o que Será), 2 (Eclipse) e 3 (Mãos Dadas), se manifestaram sobre as ideias de cada grupo em entrevista à Famecos Cast.

Aline Salvatori, representante da Chapa 1, ressaltou a luta de seu grupo como um movimento independente, sem aparelhamento a qualquer partido político, embora tenha uma posição crítica em relação ao governo Temer. Entre as suas propostas, citou a reativação da casa do estudante e a criação de creche para as mães e pais trabalhadores, além de uma postura de combate aos aumentos da mensalidade.

Matheus Xavier (Chapa 2), por sua vez, preferiu focar no comprometimento de sua chapa com os estudantes por “meio de uma neutralidade política que inclua todos os posicionamentos dos estudantes”. Como exemplo de comprometimento, ele disse que sua chapa quer “realizar um serviço decente na entrega do cartão Tri”, se comprometendo devolver dinheiro caso isso não se cumpra.

Representando a Chapa 3, Denis Brum mencionou as propostas de seu grupo que dizem respeito ao Tri gratuito e a adoção de orçamento participativo. Assim, eles pretendem promover a união dos estudantes para que haja uma mudança do que já foi estabelecido pelos outros grupos que estiveram no DCE. Além disso, eles prezam a importância da participação estudantil para a conquista de direitos, também optando por postura crítica em relação ao governo atual, assim como a Chapa 1.

Em comum, todos se mostraram, na entrevista ao Editorial J, críticos ao DCE atual e comprometeram-se com a prestação de contas sobre o dinheiro gasto na gestão. Além disso, defenderam a criação de portais de transparência on-line.