Em Uruguaiana, Guarda Municipal torna praça mais segura

Qual o papel da Guarda Municipal? A guarda não poderia tomar conta da Redenção? Essa pergunta aparece com frequência entre as pessoas contrárias ao cercamento do mais conhecido parque da Capital.

Há 630 quilômetros de Porto Alegre, Uruguaiana trouxe a população de volta às praças da cidade com a criação da Guarda Municipal, em 2004, depois de ter enfrentado graves problemas de segurança. Segundo Chico Alves, repórter de polícia da Rádio Charrua, há 10 anos era complicado até transitar de dia na Praça Barão do Rio Branco, que fica no centro da cidade. Havia uma grande quantidade de usuários de drogas e o perigo de ser assaltado era constante. “Antes do ano de 2004 era difícil até passar de dia. O lugar tinha muitos arbustos, era muito fechado, facilitava a ação dos assaltantes”, explica.

Leia também: Germânia é modelo de parque fechado

Diante da revitalização da praça, o radialista reconhece que a melhoria não se deve apenas à criação da Guarda Municipal. “Devemos salientar o corte de árvores, que tornou o local mais aberto, e a colocação de uma melhor iluminação. Hoje se vê com freqüência de três a quatro viaturas no local e são adotados constantes cuidados, principalmente com limpeza e preservação. Os moradores têm prazer em frequentar a praça e se sentem seguros”, comenta.

Renato Cabreira, inspetor de polícia da cidade, pensa que é válida a tomada de medidas semelhantes em Porto Alegre. “O que foi feito aqui foi uma popularização e humanização do local”.

Texto: Thiago Valença (3º semestre)