Estudante conta a história de poema de protesto contra aumento da passagem de ônibus

Um poema afixado a uma janela de ônibus
Poema afixado à janela de um ônibus critica o aumento da tarifa.

O aumento da tarifa de ônibus em Porto Alegre, divulgado em janeiro de 2013, fez com que o jovem Gustavo Ruwer, 16 anos, espontaneamente, em meio às ações cotidianas, visse surgir em sua mente versos do que seria intitulado “O verdadeiro poema do ônibus”. Gustavo conta que estava trabalhando, distraído, e, de repente, percebeu que havia criado alguns versos mentalmente. “Para não me esquecer deles, a primeira coisa que fiz foi pegar uma caneta e rabiscá-los no meu braço”, relata.

Ainda no mês de janeiro, ao finalizar o poema, ele o publicou em sua página no Facebook, mas não teve muito sucesso. Com a efetivação do aumento pela Prefeitura, em março, o estudante resolveu imprimir algumas cópias do poema em papel adesivo e começou a colá-las nas janelas dos coletivos. Dessa vez, divulgou novamente a foto da ação nas redes sociais e a repercussão foi muito grande. “Em menos de uma hora, a postagem já tinha mais de 500 compartilhamentos”, afirma Gustavo. Atualmente, conforme dados do Facebook, o número aumentou para 942. Outras páginas, como a Manifesto POA, exibem números como 1.494 compartilhamentos.

O jovem autor conta que sempre gostou de compor músicas e expressar suas opiniões através delas. Ele ainda está no ensino médio e se interessa por questões sociais, mas ressalta: “Prefiro não me rotular como um seguidor de qualquer ideologia, pois minha mente está em constante transformação.”

Entre suas inspirações artísticas está Banksy, artista britânico anônimo que, por meio dos seu grafite, faz duras críticas à sociedade em irônicos comentários visuais. “Ele consegue fazer intervenções urbanas lindas e carregadas de uma forte crítica social”, afirma Gustavo.

Texto: Bárbara Nóbrega (1º semestre)