Evento com skate, grafite e música agita o sábado no Asilo Padre Cacique

Um campeonato de skate fora dos padrões quebrou a rotina do Asilo Padre Cacique no sábado, 27 de setembro. A interação entre jovens e idosos marcou a segunda edição do Skate no Asilo. A competição teve como jurados os próprios moradores da instituição, subvertendo o protocolo de um campeonato de skate tradicional.

O evento foi organizado pelo coletivo Smile Flame que promove ações sociais com referências da cultura urbana, para arrecadar alimentos, produtos de limpeza e higiene. Os organizadores acreditam que promovendo eventos mais interativos é possível obter resultados melhores. “Pensamos que os velhinhos têm uma rotina meio padrão, dificilmente interagem com pessoas mais novas. Então resolvemos levar a galera jovem mesmo pra brincar com eles de uma forma leve e divertida”, explica Gabriel Bastos, integrante da Smile Flame.

A música ficou por conta da DJ Juli Baldi, que carregou na trilha sonora anos 1950. O artista Marcos Torres criou um painel de grafite em live painting, que é a pintura ao vivo. A pista de skate ficou liberada ao público em torno de uma hora, mas no momento do campeonato cerca 15 skatistas competiram.

Além das doações as atividades também divertiram os velhinhos. “Significa tudo de bom pra nós aqui do asilo, os moradores tem um divertimento enorme, é muito bom para nós um evento assim. Todos ficam muito felizes porque assim as pessoas lembram que existimos”, conta Osvaldina Rodrigues Pinto, de 88 anos.

Alguns ficaram tão empolgados que chegaram a ter vontade de fazer igual. “É tudo muito lindo, maravilhoso, eu gosto muito destas aventuras aí. Invejo a juventude de hoje e gostaria de tomar parte, mas a minha idade não permite, porque se eu cair me quebro todo”, afirma Paulino Lavarette, 88 anos, que chegou a se arriscar em cima de um skate de mãos dadas com dois atletas.

Texto e fotos: Guilherme Almeida (5º semestre)