Ipanema FM

Ex-comunicadores da Ipanema já esperavam fim da rádio em FM

  • Por: Nicole Oliveira e Eduardo Pinzon (1º semestre) | 12/05/2015 | 0

Ipanema FM

rádio Ipanema FM vai ceder sua frequência (94.9 no dial) para a rádio Bandeirantes AM. A transição ocorrerá no dia 18 de maio, às 7h. Voltada para a programação de rock, a emissora seguirá ativa na web, com produção de conteúdo e reprodução de músicas através de playlist. De acordo com informações de Thadeu Malta, gerente de programação da rádio, o momento econômico brasileiro foi um dos fatores para a migração para o on-line. “Começamos este mês bem economicamente, no entanto a conjuntura atual fez a direção do Grupo Bandeirantes repensar o papel da Ipanema”, explica.

Para Nilton Fernando, um dos idealizadores do projeto inicial da rádio, em 1983, o desfecho agora anunciado não é uma surpresa. Ele acredita que a linha adotada pela rádio, desde os anos 2000, não tinha grande futuro, apesar dos bons resultados de audiência. “Não sou saudosista em dizer que os tempos mudam. O meio publicitário não segue a tendência do novo ambiente on-line”, observa.

A primeira mulher a ancorar um programa de rádio FM ao vivo na Ipanema, Katia Suman, afirma que a decisão já era aguardada: “A ideia inicial da rádio, na década de 1980, mudou completamente. Considero patético o que vinha sendo feito com a Ipanema, uma rádio completamente descaracterizada, o avesso do que era. Do jeito que estava, teria que ter acabado muito antes”. A comunicadora lamentou ainda o descrédito com que a rádio era tratada pelo Grupo Bandeirantes. “Sempre fomos um elemento estranho para a Band, apesar dos bons resultados de audiência e de retorno publicitário”, relata.

Katia Suman, que hoje mantem uma rádio on-line, atribui a perda gradual da força do rádio à popularização da Internet. “Os jovens que nos anos de 1980 utilizam a rádio para promover debates, falar sobre cultura, sexo e até divulgar o trabalho de sua banda de garagem fazem tudo isso hoje com um clique”, afirma. Relembrando os anos de 1980, Katia destaca o espírito de redemocratização da época pós-ditatura e como a rádio viveu junto com os jovens esse período. “O sentimento de ter contribuído na construção do espírito da época, do novo momento para os jovens, com certeza fez a diferença em minha vida”, conclui.

O diretor geral da Bandeirantes no Rio Grande do Sul, Leonardo Meneghetti, ressalta que a Ipanema não encerrou suas atividades, mas continuará atuando no ciberespaço: “A Ipanema não fechou. Muda de plataforma. Vai passar por esta fase de transição e reencontrar sua trajetória. Não é porque saiu do rádio que irá fechar. Está no digital, on-line, site, aplicativos. Tem tamanho para esta mudança. E este tamanho foi conquistado graças ao esforço e competência de tantos comunicadores que passaram por lá”.

Em nota publicada no seu perfil do Facebook, o comunicador Cagê Lisboa anunciou o fim da rádio FM e sua demissão, gerando grande repercussão nas redes sociais. Fundada em 1983, a rádio começou tocando fitas das bandas e dos artistas de Porto Alegre, tornando-se mais tarde um ponto de referência para a cultura da cidade.

Apesar de ter conquistado um público fiel, a 94.9 FM passou por transformações em sua trajetória. Em 2014, o Grupo Bandeirantes contratou o radialista Thadeu Malta para comandar a reestruturação artística e comercial da rádio, adotando o slogan “A rádio rock de Porto Alegre”. Três anos antes, a Ipanema envolveu-se em uma confusão ao incluir em sua agenda musical pagode, sertanejo e músicas bregas, o que causou espanto na sua audiência. Horas depois, a emissora explicou que se tratava de uma ação publicitária e retomou a programação original de emissora plural e sem discriminação.

A matéria foi atualizada na manhã de 12 de maio, para incluir uma declaração do diretor geral da Bandeirantes no Estado, Leonardo Meneghetti.