Montagens, informações falsas ou fora de contexto: as notícias falsas mais recentes sobre os candidatos às vésperas do segundo turno

Notícias falsas ainda circulam na reta final das eleições.

  • Por: Por: Flávia Pereira (3º semestre) e Yasmim Girardi (2º semestre) | Foto: Rawpixel/Unsplash | 28/10/2018 | 0

Notícias falsas marcaram as Eleições 2018 em ambos os lados. Notícias falsas a respeito de fraude nas urnas eletrônicas, campanhas e a vida pessoal dos candidatos marcaram os primeiro e segundo turno do pleito aos poderes executivo e legislativo.

O J reuniu algumas ocorrências recentes de informações falsas circulando a respeito da disputa à presidência da república e ao governo do Rio Grande do Sul

Eduardo Leite

O candidato ao governo gaúcho Eduardo Leite, do PSDB, teve uma foto com a família em uma viagem de férias cortada em um quadro que só aparecesse Eduardo e o irmão. A partir disso, foram vinculados comentários que questionaram sua a sexualidade.

Fernando Haddad

No penúltimo dia de campanha, o candidato à presidência pelo PT foi acusado de estuprar uma menina de 11 anos em imagem que circulou pelo WhatsApp. A montagem colocava uma foto do presidenciável e uma de garota, mas a jovem da foto é a atriz e cantora gospel Esther Marcos, de 16 anos. Não há investigações e denúncias contra Haddad por pedofilia. O portal G1 desmente o post.

Jair Bolsonaro

É falsa a notícia que o candidato à presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, estaria com câncer no intestino. Em entrevista no programa Domingo Espetacular, da Rede Record, o médico do presidenciável falou em câncer de intestino no vídeo enquanto se preparava para diagnosticar Bolsonaro, porém em tom de brincadeira. O Projeto Comprova, que reúne jornalistas de 24 veículos e tem como objetivo identificar e verificar conteúdos e informações enganosas, investigou e constatou que houve erros na interpretação do contexto.

Urnas Eletrônicas

O vídeo de um eleitor denunciando suposta fraude na sua zona eleitoral também não envolve informações verdadeiras. Segundo ele, o voto no candidato do PSL, Jair Bolsonaro, era computado como nulo. Quando mostra a urna na filmagem, porém, é possível ver que o eleitor estava votando na ordem errada, o que justifica o voto ter sido computado como nulo. Segundo o G1, foi decretada a prisão do eleitor em questão, mas que não foi efetuada por ser PM da reserva.