Frustração gaúcha no Beira Rio

  • Por: Kamylla Lemos (4º semestre) | Foto: Kamylla Lemos (4º semestre) | Produção: Kamylla Lemos (4º semestre) | 21/09/2015 | 0

12042045_10208128079818734_817807058_n (2)
Os irmãos Matheus, 8 anos, e Pablo Wents, 9 anos, vestidos de bombacha, botas e chapéu, em comemoração ao  20 de setembro

Era véspera do 20 de setembro, uma data importante para torcedor gaúcho, mas o jogo Internacional x Figueirense foi frustrante para todos os colorados, não apenas os que vestiram as cores do time e do Estado e foram ao estádio Beira-Rio no sábado (19/9).

Na 27ª rodada do Brasileirão, o Internacional empatou em 1 a 1 com o Figueirense, ex-time do técnico Argel Fucks. A partida que poderia levar a equipe direto para o G4, acabou deixando o clube em sétima posição. Os gols foram de penâlti para o Inter, marcado por Alex, e de Thiago Santana para o Figueirense.

O time entrou em campo com grandes desfalques. D’Alessandro e Sasha não jogaram porque ainda estão tratando de lesões, o meia com contratura lombar e o atacante com dores no tornozelo. Valdívia ficou no banco de reservas, mas substituiu Vitinho aos 18 minutos do segundo tempo.

O Figueirense fez três substituições. Yago, aos 14 minutos do segundo tempo, entrou no lugar de Rafael Bastos, após ele tomar um cartão amarelo. Dener substituiu João Vitor e Thiago Santana ingressou no campo após o intervalo no lugar de Paulo Roberto.

ASSISTA AO VÍDEO DO GOL 

Em comemoração ao dia da Revolução Farroupilha, 20 de setembro, o Internacional preparou diversas ações antes do jogo. Os jogadores chegaram escoltados por cavalarianos e do lado de fora do estádio houve a apresentação de dança do DTG Lenço Colorado. Os primeiros 5 mil torcedores que chegassem pilchados não pagavam ingresso. Por isso, diversos colorados usaram bombachas e carregavam bandeirinhas do Rio Grande do Sul e do clube. O público total foi de 20.607 pessoas, sendo 16.631 pagantes.

A chance de unir a tradição à paixão pelo time agradou aos torcedores que ficaram frustrados com a equipe em campo. Teve gente que aproveitou para ir com a família, como Euclesio Wentz, de 35 anos, que levou os dois filhos Matheus, 8 anos, e Pablo Wents, 9 anos, ambos vestidos de bombacha, botas e chapéu. “Desde pequeninhos eles vêm no jogo. Vieram pilchados em homenagem ao 20 de setembro”, disse o pai.

A ação recebeu vários elogios e foi mais um dia normal para aqueles que estão acostumados com a vestimenta. “Eu achei excelente unir as duas coisas”, afirmou Renato Melo, de 54 anos, “ando pilchado durante a semana, todos os dias”.

Nesta quarta-feira (23/9) o Internacional enfrenta o Palmeiras pelas quartas de final da Copa do Brasil.