Futebol de várzea volta aos campos de Porto Alegre nos finais de semana

26ª edição do campeonato municipal reúne 33 equipes

  • Por: Irto Junior (2º semestre) | Foto: Divulgação PMPA/Luciano Lanes | 19/09/2018 | 0

Os campos de futebol do Parque Marinha do Brasil; da Gleba, no bairro Rubem Berta; e da Padaria, na Tristeza, voltam a ser espaço de disputas entre 33 equipes inscritas no 26ª Campeonato Municipal de Futebol de Várzea de Porto Alegre, iniciado no domingo, dia 16 de setembro. Até o final de ano, 15 equipes concorrem na categoria Master, que inclui atletas a partir de 48 anos, e 18 times da categoria veterano que congrega jogadores com a idade de 37 anos ou mais.

Devido às chuvas que ocorreram na semana passada, os jogos da categoria veteranos que deveriam ter sido disputados no sábado (15) foram adiados. Os jogos do campeonato serão disputadas até dezembro sempre no Parque Marinha do Brasil, nos campos da padaria ( no bairro tristeza ) , e da Gleba ( no bairro Rubem Berta ).

A várzea conta atualmente com nomes conhecidos do futebol gaúcho profissional. Jogadores como Almir Fraga e  André Vieira já participaram de campeonatos varzeanos. Segundo o presidente do Grêmio Esportivo Róci, clube que disputa o municipal, o principal nome do futebol de várzea até hoje é ex-zagueiro Aloísio, que teve passagem pelo Inter, pelo Porto de Portugal, Barcelona da Espanha e pela seleção brasileira onde conquistou a medalha de prata nas olimpíadas de 1988 em Seul.

O ex-jogador do Internacional, Paulo Santos, vive o dia a dia dos campeonatos de várzea. Atualmente ele preside o Flamenguinho da Tuca, clube pelo qual jogou antes de se tornar profissional. Em entrevista, ele cita outros atletas que foram descobertos no Flamenguinho como Pedro Verdum e Feijão. Ambos fizeram carreira aqui no estado.

Para Rafael Colling ,  jornalista da rádio Gaúcha que já participou de campeonatos de várzea, entre os principais motivos para a continuidade do futebol de várzea estão o estímulo por revelar novos atletas e a própria integração social que gera. A questão social também se mostra um assunto muito importante no futebol de  várzea. Muitos times procuram desenvolver este tipo de projetos. Segundo Paulo Santos, o próprio Flamenguinho faz jogos no dia das crianças para promover a integração entre jovens e atletas do clube para que todos sintam-se agregados ao meio futebolístico e mantenham o sonho de um dia se tornaram jogadores de futebol.