Hemocentro atenderá neste sábado para comemorar Dia Nacional do Doador de Sangue

Hemorgs espera compor estoque para período de maior baixa nas doações de sangue

  • Por: Camila Pereira (1º semestre) | Foto: Divulgação | 23/11/2017 | 0
Divulgação/Palácio Piratini
Divulgação/Palácio Piratini

No próximo sábado (25), o Hemocentro do Estado do Rio Grande do Sul (Hemorgs) atenderá das 8h às 11h30min para comemorar o Dia Nacional do Doador de Sangue, data antecede o período de maior baixa nos estoques do banco de sangue. Entre dezembro e março, boa parte da população migra para as praias, o que diminui a presença de doadores voluntários na cidade. O Hemorgs atende cerca de 40 hospitais da Capital, região metropolitana e litoral norte e por dependerem exclusivamente deste banco de sangue, muitos dos hospitais suspendem cirurgias eletivas durante esse período.

Segundo Marilu Peck, assistente social do Hemorgs, para atender a demanda e ter uma margem no estoque, seria necessária a coleta de 100 bolsas de sangue por dia, mas a média de doadores diários durante o ano é de cinco a sete pessoas. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, apenas 1,8% dos brasileiros doam sangue e no Rio Grande do Sul a porcentagem é de 2,2% da população. Porém, a Secretaria da Saúde do Estado alerta que se de 3 a 4% dos gaúchos saudáveis realizassem pelo menos duas doações durante o ano, não seriam necessárias campanhas emergenciais para repor os estoques dos bancos de sangue, já que uma única doação pode salvar até quatro vidas.

Para manter os níveis básicos para atendimento, o Hemorgs conta com o auxílio de Organizações Não Governamentais (ONGs) como a Chico Viale, de São Francisco de Paula, a Associação De Apoio aos Doadores de Sangue de Sapucaia do Sul, o Grupo Sangue Amigo da Vida, de Esteio, e o Grupo de Doadores Voluntários de Sangue (GDVS), referência no Sul do país com mais de 28 mil doações de sangue em 14 anos de existência e 400 participantes. Além disso, o Hemorgs possui parcerias com empresas, fornecendo capacitação de líderes para atuarem na captação de doadores. Uma dessas empresas é o Senac São Leopoldo, que nesta semana levou alunos do curso técnico em enfermagem para realizarem doação de sangue e medula. “A importância dessas parcerias está em fidelizar doadores, garantindo um sangue de melhor qualidade”, explica Marilu.

O perfil dos doadores

Cerca de 60% dos doadores voluntários são homens, mas o percentual de doadoras mulher atinge a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde, segundo dados fornecidos pelo Hemocentro do Estado do Rio Grande do Sul. A faixa etária dos doadores é de 25 a 35 anos, sendo que 70% doam regularmente. Por ser doador universal (que pode transfundido em uma pessoa de qualquer outro tipo sanguíneo), o sangue O- é o mais necessário para os bancos de sangue, e o que mais faz falta, por estar em apenas 9% da população. Homens podem doar a cada dois meses, sendo no máximo quatro vezes por ano, e mulheres podem realizar a doação a cada três meses, não excedendo três vezes ao ano.

O que é preciso para doar

  • Ter entre 16 e 69 anos;
  • Pesar no mínimo 50kg;
  • Ter dormido pelo menos seis horas na noite anterior;
  • Não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas;
  • Não ter fumado nas últimas duas horas antes da doação;
  • Não estar grávida ou amamentando;
  • Não fazer uso de drogas injetáveis;
  • Não ter contraído Sífilis, Hepatite, Doença de Chagas ou AIDS;
  • Não ter tido contato sexual com pessoas que tenham comportamento de risco para doenças transmissíveis pelo sangue;
  • Não ter feito tatuagem há menos de um ano;
  • Portar documento de identidade com foto.

 

Como é feita a doação
Em Porto Alegre a doação de sangue pode ser feita diretamente no Hemorgs, localizado na Avenida Bento Gonçalves nº 3722, de segunda a sexta das 8h às 18h. Doações também podem ser feitas nos seguintes bancos de sangue:

Hospital de Clínicas, na Rua São Manoel nº 543, de segunda a sexta, das 8h às 15h.

Hospital de Pronto Socorro, na Avenida Venâncio Aires nº 1116, de segunda a sexta, das 8h às 12h.

Hospital Nossa Senhora da Conceição, na Avenida Francisco Trein nº 596, de segunda a sexta das 7h30min às 17h, e sábados, das 7h30min às 12h (aos sábados, com distribuição de 80 fichas, por ordem de chegada).

 

O ciclo para doação ocorre em cinco etapas:

  1. Cadastro do doador (necessário portar documento de identidade com foto);
  2. Pré-triagem: ocorre a verificação dos sinais vitais;
  3. Triagem clínica: entrevista individual para verificação das condições de saúde;
  4. Coleta: são coletados aproximadamente 450ml de sangue;
  5. Hidratação: o doador recebe um lanche e é recomendado que após a doação permaneça pelo menos 15 minutos no local para recuperação.

 

Juntamente com a doação, são coletados 45ml de sangue para realização de testes que garantem a qualidade. Se o resultado for positivo para alguma doença, o sangue é descartado. Os exames também ficam disponíveis para o doador em até dez dias após a coleta.