Inter faz 2 x 0 no Coritiba para homenagear Fernandão

  • Por: Jéssica Moraes (5º semestre) | Foto: Jéssica Moraes (5º semestre) | 07/06/2015 | 0

MG_91681

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O torcedor que chegava ao Beira Rio para o jogo Inter x Coritiba, pela sexta rodada do campeonato brasileiro, não foi só assistir o duelo. A partida começava às 11 horas de domingo (7/6), mas antes das 9h o estádio já estava tomado por uma legião de saudosistas torcedores. Em 7 de junho de 2014, o ídolo colorado Fernandão faleceu em um acidente de helicóptero. Passado um ano, nesse domingo teve uma missa em frente à estátua que o homenageia e ainda um mosaico feito pelos torcedores quando a bola rolou.

A torcedora Rosângela Ferreira levou a filha pequena e as duas assistiram à missa. “Ele é ídolo e isso não vai mudar nunca. Fico feliz por ter vindo hoje”, afirmou. Entre milhares de pessoas que acordaram mais cedo no domingo, estava Diego Palhares que acredita que as ações do Inter são positivas, pois “são poucos jogadores que merecem ser homenageados. Essa homenagem é justa”, comentou animado para o jogo e indicando placar de 2 x 0 para o Inter. Édson Arquez vestia uma camiseta com o 9 de Fernandão nas costas e os dizeres “Fernandão eterno”. Arquez salientou que as ações do jogador fora de campo reforçam esse reconhecimento. “As atitudes cotidianas dele eram muito boas. Tomara que hoje a vitória seja para ele”, finalizou sorrindo.

A partida
Quase 40 mil pessoas viram o Inter pressionar o Coritiba. Anderson teve uma grande atuação e construía as jogadas, muitas vezes tabelando com Vadívia. O Coritiba marcava firme, jogava fechado e avançava em direção à área do Inter, mas não ameaça.  Aos nove minutos de jogo, o telão anunciou o “minuto 9”. A torcida gritava o nome do ex-capitão e o Inter se preparava para cobrar uma falta perigosa. Quase gol.

Minutos depois, o placar foi aberto por Vitinho que, depois de muita pressão, empurrou a bola para o fundo das redes aos 25 minutos de jogo. Inter 1 x 0. O jogador foi comemorar com a torcida e levou um cartão amarelo. Alisson, goleiro do Internacional, não fazia muitas participações na partida. A equipe alviverde só assustou uma vez, mesmo tendo inúmeros escanteios. O segundo gol veio dos pés de Nilmar, aos 35 minutos, como se tivesse se inspirado em Fernandão. Foi o 74ª gol do atacante pela equipe colorada.

No intervalo da partida, foi a vez da torcida exibir um de seus dois mosaicos. “F9 Eterno Capitão” ilustrava o amor e a saudação de uma torcida que lamenta a perda do ídolo. Para o segundo tempo, os treinadores não mexeram nas equipes. O jogo esfriou. Valdívia era marcado fortemente e perdeu a chance de ampliar o placar em jogada individual. Lisandro Lopes foi um dos destaques, pois mesmo recuado, armava e finalizava. O “Coxa” estava mais atrás, e o Inter seguia atacando com mais volume. Vitinho deixou o jogo para a entrada de Alex, ovacionado pela torcida. O Coritiba também mudou no segundo tempo, saiu Fabrício e entrou Cáceres. Depois, Galhardo deu lugar a Ícaro. Mas, o panorama da partida não mudou. Aos 26, Alisson espalmou chute de Norberto na melhor chance dos visitantes. Anderson, antes de ser substituído por Rafael Moura, levou cartão amarelo, o que o deixa fora da partida de sábado, contra o Corinthians. Fim de jogo, o Inter segue invicto no novo Beira Rio. Os colorados subiram para nona posição da tabela, com nove pontos, mas ainda dependem de resultados paralelos para se manter ali. O Coritiba está em 18º, com apenas três pontos.

Entrevistas
Após o jogo, Diego Aguirre, técnico do Internacional, concedeu rápida entrevista por que tinha voo marcado. O técnico do “Coxa”, Marquinho Santos, disse que as melhores chances do primeiro tempo foram de sua equipe: “Nós sentimos o primeiro gol, e isso ocasionou o segundo. Organizamos o time no intervalo, mas correr atrás do resultado é complicado.” Willian, lateral do Inter, preferiu não comentar sobre o excesso dos cartões amarelos que vêm sendo distribuídos pela arbitragem, “mesmo não concordando, acho melhor não entrar na polêmica. Melhor não ficar falando”.

Anderson achou injusto o cartão que recebeu e lamentou ter que ficar de fora de um jogo importante fora de casa. Sobre suas atuações, disse “quem me criticava eram vocês [imprensa], eu estou tranquilo. Um jogador não tem que ser 100%, e sim 130, 140%”. Em relação às marcações pessoais e fortes, Valdívia brincou com a situação: “Eles querem me anular, mas me marcando deixam o Vitinho e o Anderson sozinhos. Mas futebol é assim mesmo, jogador bom é sempre bem marcado”. Alex, que sente falta de Fernandão, disse que hoje puderam dar uma resposta ao amigo. “Tenho certeza que fizemos tudo que ele gostaria que fizéssemos. Esse jogo veio para coroar esse belo dia”, completou sorrindo. Alex foi o último jogador a deixar o estádio.

A próxima partida do Inter pelo Brasileirão é contra o Corinthians, em São Paulo. O Coritiba enfrenta o Flamengo no estádio Couto Pereira.