Intercâmbio, oportunidade para conhecer outras culturas

Evento Global Village reuniu estudantes e voluntários de países como Colômbia, Chile, Índia, Tunísia, Alemanha, Irlanda, na quarta-feira (4), na PUCRS

  • Por: Virgínia Fernandes (3º sem) | Foto: Camila Lara (2º sem) | 06/11/2015 | 0

Feira de intercambistas
Intercambistas compartilharam suas vivências com alunos da PUCRS no Global Village 2015

A estudante alemã Yvonne Zoller, 23 anos, veio para o Brasil, há seis meses, para aprender português e conhecer a cultura do país. John Romero, 21 anos, deixou seu país, a Colombia, para fazer trabalho voluntário no Brasil. Em uma oportunidade anterior, ele conheceu o Rio de Janeiro e ficou apaixonado pela cidade e pelo país. Isso pesou na hora de decidir para onde iria fazer voluntariado.

Os dois intercambistas contaram suas histórias no Global Village, evento que reuniu estudantes e voluntários de países como Colômbia, Chile, Índia, Tunísia, Alemanha, Irlanda, na quarta-feira (4), no prédio 50 da PUCRS. Resultado da parceria entre a Faculdade de Administração, Contabilidade e Economia (FACE) e a Associação Internacional de Estudantes (AIESEC), o evento promoveu a aproximação dos intercambistas com pessoas interessadas em conhecer a cultura dos seus países, nas formas de intercâmbio e também na adaptação dos estrangeiros ao Brasil e nas dificuldades deles para aprender a língua.

Yvonne Zoller estuda economia e, na Alemanha, tem como hobby viajar e encontrar seus amigos. Ela estranhou e demorou a se acostumar com a rotina enfrentada pelos porto-alegrenses de ônibus lotados e sempre fora do horário, sair para rua com medo e sem a certeza de que vai voltar para a casa. Também ficou impressionada com a falta de respeito no trânsito, em estabelecimentos e, principalmente, com a maioria sempre quer tirar vantagem sem se importar com o próximo

A estudante alemã contou que, em seu país, as pessoas costumam ser gentis, principalmente com os mais velhos, e que isso é passado de geração em geração. Também estão sempre dispostos a ajudar o outro, sem esperar nada em troca. Aqui, quando alguém devolve uma quantia de dinheiro que não é seu ou faz alguma ação que deveria ser corriqueira, vira notícia em jornais, porque isso não é comum, quem recebe um bem devolvido diz que é sorte. Na Alemanha, ao contrário, estes fatos não são notícia porque são comuns, quem devolve não é exceção e não precisa ser noticiado. Yvonne acompanha, pelo noticiário local e nos contatos com a família, a situação dos refugiados que chegam ao seu país.

O Global Village objetiva ampliar a visão de mundo das pessoas, perceber e aceitar as diferenças e apreciar a cultura do outro. Ao realizar o encontro na PUCRS, os organizadores proporcionar aos alunos a oportunidade de conhecer diferentes culturas, através da vivência do outro e incentivá-los a conhecer outros lugares.

Segundo a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco), a AIESEC é a maior organização gerida por jovens do mundo. Ela oferece intercâmbio social tanto de estudo como de trabalho voluntário ou profissional.