J Responde: Quem faltou primeiro turno pode votar no segundo?

Eleitor precisa justificar ausência ou pagar multa

  • Por: Lara Marques (2º semestre) | Foto: Maurício Paz (6º semestre) | 17/10/2018 | 0

Os eleitores que não compareceram ao primeiro turno (07/10) e desejam votar no segundo (28/10), que ocorre na eleição presidencial e em 26 estados, têm duas alternativas: pagar uma multa ou justificar sua ausência. Conforme o TRE-RS, no primeiro caso, quando o cidadão perde a votação por motivos não considerados legítimos pela corte eleitoral, precisa pagar um valor que gira em torno de R$ 3,50. Se o eleitor possuir documentos que comprovem que estava ausente de seu domicílio, é necessário apresentá-los.

Seguindo esses procedimentos, o eleitor estará apto a votar normalmente no segundo turno. O cidadão pode justificar-se no dia da eleição, mas apenas em seções que sejam fora de seu município de votação. Caso isso não ocorra, deve documentar sua falta até o dia 6 de dezembro, no cartório, presencialmente ou online. Vale ressaltar que o eleitor que estiver em situação irregular pode ter seu documento cancelado. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), quem não possui comprovante de votação ou não quitou suas pendências eleitorais, pode perder alguns direitos: inscrever-se em concurso público; ser empossado em cargo público; obter carteira de identidade ou passaporte; renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial; obter empréstimos em bancos oficiais; e participar de concorrência pública ou administrativa.

Nas eleições de 2018, o Rio Grande do Sul registrou um total de 1.515.109 abstenções, com o índice nacional ficando em 20,33%. No último domingo (7), 1.100.163 eleitores compareceram às urnas na capital, Porto Alegre, que conta com 3.011 seções e 350 locais de votação. O maior colégio eleitoral da cidade é a PUCRS, com 36 seções, seguida do Colégio Nossa Senhora do Bom Conselho, no bairro Independência, com 27.

No Rio Grande do Sul, Jair Bolsonaro obteve 3.353.623 votos, totalizando 52,63%. Fernando Haddad ficou atrás com 22,81% dos votos válidos. Já Eduardo Leite e José Ivo Sartori tiveram, respectivamente 35% e 31% na primeira etapa do pleito. Confira alguns destaques da cobertura do J do primeiro turno: