Juizado dos Torcedores pretende punir apenas xavantes envolvidos em confusão

  • Por: Mariana Capra (3º Semestre) | Foto: Ítalo Santos (Divulgação) | 20/04/2015 | 0

Italo-Santos-Divulgação

 

O Brasil de Pelotas e seus torcedores não devem sair impunes da confusão ocorrida na partida do dia 11 de abril no estádio Aldo Dapuzzo, pela semifinal do Campeonato Gaúcho. Os delitos mais comuns pelos quais podem ser indiciados os torcedores responsáveis são tumulto, briga, lesão corporal e desacato à autoridade, segundo o juiz Marco Aurélio Martins Xavier.

O magistrado do Juizado dos Torcedores afirma que, nestes casos, o objetivo é punir individualmente os torcedores responsáveis, para evitar a aplicação de uma punição generalizada que poderia afetar torcedores que não participaram desses atos de violência: “Os torcedores são submetidos a uma audiência; havendo transação penal, eles sofrem imediatamente uma penalização, que geralmente é de afastamento dos estádios durante um determinado tempo”.

Conforme o Art. 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), a punição para o clube que deixar de tomar providências capazes de prevenir ou reprimir desordens em sua praça de desporto é uma multa de R$ 50 mil a R$ 500 mil e perda do mando de campo por uma a três partidas.

A confusão, que ocorreu durante o intervalo do primeiro jogo da semifinal, contra o Internacional, se estendeu por 43 minutos. Começou com a tentativa de invasão da parte colorada da arquibancada pela torcida xavante e terminou por envolver a Brigada Militar, que, sendo atingida por pedras, respondeu com bombas de efeito moral e spray de pimenta.

“Presenciamos um conflito envolvendo os torcedores do G.E. Brasil que estavam localizados atrás da meta localizada à esquerda do pavilhão social do estádio. Neste conflito, diversos torcedores investiram contra o policiamento que estava presente naquele local. Os torcedores arremessavam objetos contra os policiais”, relatou o árbitro Anderson Daronco, na súmula da partida. Alguns torcedores do Brasil de Pelotas foram retirados do estádio após o incidente. Cinco pessoas que estavam no setor de arquibancada do Brasil de Pelotas foram encaminhadas à delegacia de polícia, segundo o Capitão Santos, da BM, ao árbitro da partida.

No jogo de volta da semifinal, no Beira Rio, dia 19 de abril, o Internacional venceu o Brasil de Pelotas por 3×1.

Ao ser procurada, a Federação Gaúcha de Futebol (FGF) não quis dar entrevista sobre o assunto. Não foi possível contato com o Juizado Especial Criminal (JECRIM) de Rio Grande.