Mais alta cesta básica do país é de Porto Alegre

Em pesquisa da Dieese, a Capital está no topo das cidades com maior cesta básica

  • Por: Texto: Jonas Melgaré (2º semestre) | 08/06/2017 | 0

A cidade de Porto Alegre lidera o índice da cesta básica mais cara do país, segundo dados da pesquisa nacional feita pelo Departamento Sindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese). A cesta básica de Porto Alegre apresenta o valor de R$ 460,65 e registrou uma queda mensal de 0,76% em maio. Mesmo que ainda estejam atrás de Capital no ranking do Dieese, São Paulo, Florianópolis e Rio de Janeiro tiveram uma alta de valores na cesta básica, em comparação com as outras cidades.

O Dieese assegura que o salário mínimo no Brasil para conseguir cobrir os custos de alimentação, moradia, entre outros fatores para uma família de, no mínimo, quatro pessoas seriam de 4,13 vezes o valor do salário mínimo atual (R$ 937,00). Em maio, Porto Alegre teve uma variação anual total de 3,88% de vários produtos como a manteiga, açúcar, óleo, café, pão, tomate, carne, farinha, arroz, carne, feijão, banana e batata. Produtos como feijão, batata e tomate sofreram aumento considerável no seu preço na cidade. Tanto a batata quanto o tomate tiveram elevação nos seus preços devido a fatores climáticos, como o excesso da chuva, o que reduziu a quantidade de produtos, provocando uma alta de 16,61%.

A pesquisa nacional da Dieese também mostrou que, na Capital, o trabalhador precisou de uma jornada de 108 horas e 10 min para adquirir todos os produtos básicos da cesta. O valor da cesta básica também representou 53,44 % do salário mínimo líquido. Tanto em Rio Branco (R$ 333,15) quanto em Salvador (R$ 351,31) apresentaram o menor valor médio da cesta básica.

Vários fatores influenciam a elevação do custo cesta básica de Porto Alegre, na opinião do professor de Economia da PUCRS Gustavo Moraes. A região metropolitana de Porto Alegre é uma das mais afastadas do centro do país e muitos itens são transportados até aqui, encarecendo os produtos.”Com a variação da inflação temos também uma preponderância de índices mais altos devido à produção local e ao transporte até essa região.

Gustavo Moraes acredita que a tendência para os próximos anos é de Porto Alegre continuar sendo a cidade com a maior cesta básica.”A Capital apresenta renda elevada para os padrões regionais e nacionais, pois há forte predominância no setor de serviços da cidade”.O professor também cita o mercado de habitação na cidade.”O mercado de habitacional também é caro, não apenas pela ausência de ofertas tanto para uma população de classe média ou de baixa renda,mas também pelo fato de a renda ser bastante elevada.”