Melo: “Não se resolve câncer com aspirina”

Acompanhado de familiares e colegas políticos, candidato do PMDB votou às 12h30 deste domingo

  • Por: Vitor Kafruni (1º sem.) | Foto: Annie Castro (5º sem.) | 30/10/2016 | 0

30693685185_09c20ef304_o

O candidato à prefeitura de Porto Alegre, Sebastião Melo (PMDB) votou neste domingo (30/10) por volta das 12h30min, no Colégio Leonardo da Vinci Beta, localizado no bairro Cristal, acompanhado de seus familiares, da vice Juliana Brizola, do atual prefeito José Fortunati e do ex-senador Pedro Simon.

Melo reconheceu que a campanha do segundo turno foi pautada pela segurança. “A pauta para essa campanha foi em grande parte a segurança pública, precisamos falar menos e fazer mais”, constatou o peemedebista. O candidato frisou mais uma vez que “não é um mago” que vai resolver todos problemas da segurança. “Não adianta pensar que vou com uma vara mágica resolver os problemas da cidade. Não se resolve câncer com aspirina”, completou Melo.

Já o atual prefeito se disse confiante em relação às possibilidades eleitorais do seu vice. “Os números dos votos nulos e brancos irão diminuir nesse 2° turno. Irá nos surpreender”, relatou Fortunati. No primeiro turno, os votos nulos e brancos somaram mais de 135 mil. Enquanto o candidato do PMDB ficou com aproximadamente 185 mil votos e o ganhador do primeiro turno, Nelson Marchezan Júnior, do PSDB, somou mais de 213 mil eleitores.

O ex-senador Pedro Simon, eleitor de Melo, criticou o comportamento do candidato do PSDB. “Houve aquele caso de disparos ao comitê deles. Depois a Polícia Federal já desmentiu tudo. Infelizmente também aconteceu o falecimento de Plínio Zalewski (coordenador de plano de governo do PMDB), ou seja, a violência de alguma forma foi pelo lado deles”, finalizou Simon.

Havia diversos apoiadores de Melo no local. Depois da entrevista com a imprensa, o candidato tirou algumas fotos e se dirigiu para seu carro. Segundo a pesquisa do Ibope publicada na sexta-feira, Marchezan liderava as pesquisas eleitorais com 56% e o peemedebista conta com 44%.