“Não vai ter Copa, vai ter luta!”

A Copa do Mundo será um momento de manifestações no Brasil, conforme planejamento do Bloco de Luta pelo Transporte Público. O primeiro ato será nesta quinta-feira, dia 15, em todo o país. Em Porto Alegre, segundo informações de Oro Mendes, integrante do movimento, a previsão é de que os manifestantes se reúnam às 18h em frente à Prefeitura para seguir pelas ruas da cidade.

Em entrevista ao Editorial J, Mendes adiantou o posicionamento do Bloco em relação à Copa e explicou o objetivo da manifestação: protestar contra a Lei Geral da Copa, que está em vigor. Entre os artigos da lei estão aqueles que beneficiam e dão isenções fiscais para a FIFA, estabelecendo um Estado de exceção no país, no entender do Bloco.

Leia Mais: Confira o hotsite do Editorial J sobre os protestos do ano passado.

Considerado um dos principais grupos de mobilização de Porto Alegre, o Bloco de Luta pretende fazer uma série de manifestações no período pré-Copa. Desde 2012, o movimento participa de diversas mobilizações nacionais, sendo composto por facções unidas pela luta contra o aumento da passagem de ônibus nas grandes cidades e por um transporte coletivo público e popular de qualidade. O grupo reúne-se frequentemente em assembleias para discutir e propor diferentes atividades, dentre elas a coleta de assinaturas para o projeto que visa 100% de transporte público na cidade, proposta ainda em andamento.

Em sua página no Facebook, o Bloco de Luta manifesta-se em total oposição à realização do evento no Brasil, argumentando que a Copa deixará um legado de bilhões de reais investidos nas forças de repressão para usar contra o povo, assim como uma enorme dívida pública para a população pagar e leis de exceção que criminalizam o direito de manifestar e artistas independentes impedidos de trabalhar.

Segue a entrevista com Oro Mendes:

Qual o posicionamento do movimento em relação à Copa?
Para resumir em uma frase: não vai ter Copa, vai ter luta. E com isso entendemos que, desde 2012, nós somos possivelmente o principal movimento social de massa da cidade. A Copa do Mundo é uma oportunidade de irmos às ruas e mobilizar mais pessoas para denunciar todas as arbitrariedades do Estado cometidas para garantir esse megaevento e os megaprojetos.

Vocês pretendem fazer que tipo de ação?
Pretendemos estar toda semana na rua, duas vezes, três vezes por semana, como foi no ano passado. Identificamos que essa é uma oportunidade de levantar o movimento de massa nacionalmente para denunciar mundialmente tudo o que tem sido feito para a realização da Copa.

Vocês já tem algum cronograma estabelecido?
O primeiro e único estabelecido até agora é no próximo dia 15, quinta-feira, contra a Lei geral da Copa, que praticamente vai estabelecer o Estado de exceção no país. Provavelmente, às 18h. estaremos com o movimento nacional indo para as ruas contra a Copa em todo o Brasil.

O Bloco tem agido em conjunto com outros movimentos contra a Copa?
Nesse dia 15 de maio é uma ação organizada pelo Comitê Popular da Copa, movimento nacional que tem um comitê aqui em Porto Alegre. Este comitê faz parte do Bloco de Luta, sendo uma das organizações que compõe o Bloco.

Texto: Gabriela Giacomini (1º semestre)
Foto: Caroline Ferraz (6º semestre)