Ocupação Lanceiros Negros comemora vitória contra tentativa de reintegração de posse

Pela primeira vez, governo ameaça retirada à força a ocupação Lanceiros Negros, entre as ruas General Câmara e Andrade Neves, que se mobilizam para conquistar um lar

  • Por: Sofia Lungui (1º sem.) | Foto: Sara Santiago (3º sem.) e Fernanda Lima (3º sem.) | 26/05/2016 | 0
"MLB essa luta é pra valer!", diz o slogan pintado na parede da ocupação no centro de Porto Alegre.
“MLB essa luta é pra valer!”, diz o slogan pintado na parede da ocupação no centro de Porto Alegre.

Foi com alívio que os manifestantes da Ocupação Lanceiros Negros, liderada pelo Movimento de Luta nos Bairros, Favelas e Vilas (MLB) comemoraram sua vitória sobre o governo: na noite de segunda para terça-feira, 24 de maio, os ocupantes de antigo prédio abandonado no Centro Histórico e apoiadores realizaram protesto contra o mandado de retirada imediata, feito pelo governo. Ameaçaram, ainda, o despejo à força pela Brigada Militar (BM), caso os ocupantes se recusassem a sair. Embora já tenham havido outras tentativas de reintegração de posse do prédio antes, essa foi a primeira vez em que houve ameaça de repressão. Pela manhã, os manifestantes foram notificados de que o pedido fora suspenso, fazendo com que ganhassem novas esperanças.

Ocupantes de prédio no centro de Porto Alegre prometem resistir.
Ocupantes de prédio no centro de Porto Alegre prometem resistir.

Na área de lazer coletiva, destinada para eventos, o clima era de alegria. Crianças brincavam e auxiliavam na faxina. O local estava sendo preparado para um churrasco e as diversas doações recebidas eram armazenadas. Enquanto isso, muitos descansavam nos dormitórios, por conta da noite agitada. Os pertences dos ocupantes eram realocados, pois tudo havia sido preparado para a possível saída deles do local.

Uma das integrantes da ocupação e responsável pela coordenação, Bianca Alves, relata momentos de tensão: “Ontem nós achamos que a BM iria entrar aqui, ficamos muitos tensos. Eles cercaram o local desde o início da noite. Alguns moradores que não estavam em casa não puderam voltar”. Bianca tem apenas 19 anos, e foi uma das primeiras a se instalar no local, no dia 14 de novembro de 2015, quando a ocupação se iniciou.

Bianca Alves é uma das coordenadoras da ocupação Lanceiros Negros.
Bianca Alves é uma das coordenadoras da ocupação Lanceiros Negros.

“Foram 9 meses de organização, até que chegou o dia de ocupar”, explica. A moradora, acompanhada pelo marido e o sogro, possuía moradia antes, mas num local de risco no Morro da Cruz. Lá ficou sabendo do movimento, por meio de divulgação dos membros do MLB. “O governo nos pressiona desde o dia em que chegamos aqui, mas nós sempre batemos o pé e dizemos que não vamos sair”, afirma.

Para Bianca, a vida na Ocupação Lanceiros Negros está sendo proveitosa, pois é tudo comunitário e a convivência entre os ocupantes é boa. Apesar disso, eles são dependentes do governo, segundo ela: ir na Assembleia para resolver os conflitos que surgem virou parte da rotina. “Vamos à Assembleia, votamos as questões e aos poucos vamos resolvendo os problemas, conseguindo acordos”, explica.

No futuro, os membros do movimento pretendem seguir se manifestando e pressionando o governo, para que todos os ocupantes conquistem uma moradia. Os dizeres “MLB: essa luta é pra valer!” ocupam o muro na lateral do prédio onde se encontram os moradores, representando sua mobilização.