Oito ex-jogadores de futebol são candidatos por diversos partidos políticos no Estado

Oito ex-jogadores da dupla Grenal são candidatos nas eleições deste ano, no Rio Grande do Sul: Danrlei (PSD), Dinho (PRB), Jardel (PSD), Tarciso (PSD), Mazaropi (PCdoB), Sandro Sotilli (PSB), Washington (PDT) e Cassia Carpes (SD) concorrem para Câmara Federal, Assembleia Legislativa e a vice-governador do Estado. Com exceção de Carpes, estabelecido há mais tempo na política, as campanhas dos ex-atletas contam com mais referências às cores e slogans dos seus antigos clubes, do que menção aos partidos e às propostas.

O ex-volante do Grêmio Dinho chega a utilizar o nome “Dinho do Grêmio” em sua candidatura, em uma associação confusa entre o nome do clube e o seu partido, o PRB. A assessoria do clube afirmou não ter um posicionamento oficial sobre a utilização da marca “Grêmio” nas campanhas, pois se tratam de ídolos do time. O cientista político Rodrigo Gonzales atribui a candidatura dos ex-boleiros à visibilidade da antiga carreira. Característica semelhante, segundo Gonzales, à situação dos candidatos Ana Amélia Lemos (PP) e Lasier Martins (PDT), reconhecidos publicamente por trabalhos nos meios de comunicação, anteriores à carreira pública.

Rodrigo Gonzales discorda de um possível “efeito Romário”, tese encontrada por articulistas para justificar o número de ex-boleiros nas eleições deste ano. O deputado estadual pelo PSB ganhou espaço no debate público durante suas empreitadas contra a Copa do Mundo, Fifa e CBF. Rodrigo Gonzales lembra ainda que profissão de atleta não prevê aposentadoria, e a política vira uma opção para os ex-boleiros, sustenta.

Texto: Gabriel Gonçalves (4º semestre)