Orquestra da PUCRS homenageia trilhas de séries televisivas

  • Por: Angelo Werner (2º semestre) e Vitória Mollerke (2º semestre) | Foto: Divulgação | 27/05/2015 | 0

wkqmwukaervocw7zuqmg

As séries de televisão tomam cada vez mais proporções cinematográficas. Cifras elevadas são investidas por episódio, a exemplo de Game of Thrones, da HBO, em que cada um custa em média US$ 6 milhões. As trilhas musicais não ficam para trás. Elas são responsáveis por parte da identidade da série e recebem atenção especial por parte dos produtores. Compositores renomados são responsáveis pela criação de músicas que se tornam hinos dos fãs da série. Aproveitando esse fenômeno, a Orquestra Filarmônica da PUCRS apresentará na tarde desta quarta feira (27/5) um concerto com músicas e imagens de séries renomadas, antigas e atuais.

Apesar de chamada por muitos de “trilha sonora”, o termo correto é “trilha musical”. A primeira engloba todos os sons da cena, como diálogos e ruídos. O conceito de “trilha musical” surgiu com o compositor alemão Richard Wagner (1813-1883), que criou em suas óperas o conceito de leitmotiv (ou motivo condutor), no qual cada vez que se quer provocar uma sensação ou definir um personagem, se toca uma determinada trilha característica. “Se pegarmos um clássico como a série Chaves, sempre que a Dona Florinda e o Professor Girafales se encontram, toca a mesma música que é o tema deles”, explica o produtor musical Ticiano Paludo, que leciona na Faculdade de Comunicação Social (Famecos) da PUCRS.

A trilha pode ser composta especificamente para a obra, dando assim uma identidade direta, ou se apropriar de músicas já existentes, como é o caso de CSI, que se utiliza da música Who are you?, da banda The Who, como tema, e acaba tomando a identidade da música para si, podendo gerar interesse do público na banda por meio disso. O seu papel é ajudar na construção da cena, e nunca roubar a atenção, mas compositores eficientes acabam criando temas que se tornam a principal identidade de uma série.

MG_8818-200x300Responsável pelo concerto desta quarta-feira na PUCRS, o maestro Marcio Buzatto se mostra animado com o evento. Trata-se de uma oportunidade de criar uma ligação entre a orquestra e um público mais diversificado, e não o costumeiro ouvinte de música erudita. O novo projeto é inspirado no sucesso dos já clássicos concertos com trilhas de filmes famosos. Pensado inicialmente como uma Sobremesa Musical, uma das pequenas apresentações que ocorrem às quartas-feiras no prédio 9 da universidade, após o almoço, o projeto tomou proporções maiores, se tornando um evento de grande porte.

O critério para a escolha das trilhas foi, além da necessidade de serem músicas compatíveis com uma orquestra e que se sustentem sozinhas de forma icônica, identificar séries clássicas, como Star Trek e Família Adams, e outras mais recentes, porém de sucesso, comoThe Walking Dead e Game of Thrones. Buzatto se mostra especialmente empolgado em conduzir a música tema do desenho Os Simpsons. “É a mais divertida, com mais conteúdo musical, mais efeitos. Apesar de ser curtíssima, acontece muita coisa nesse tempo. Além do seriado ser muito agradável para mim”, empolga-se.

Serviço

O concerto reúne 13 músicas e acontecerá as 18h30min desta quarta-feira (27/5), no Salão de Atos da PUCRS. A entrada é franca.

Repertório:

Star Trek
(Jerry Goldsmith, adap. Davi Coelho)

Who Are You – CSI Las Vegas
(Pete Townshend, arr. Neemias Santos)

Hawai Five-0 Theme
(Morton Stevens, adap. Davi Coelho)

S.W.A.T. Theme
(Barry De Vorzon, adap. Davi Coelho)

Get Smart – Main Theme
(Irving Szathmary, arr. Neemias Santos)

Fringe – Main Theme
(J. J. Abrams, arr. Neemias Santos)

Jeannie – I Dream of Jeannie – Main Theme
(Hough Montgomery, arr. Neemias Santos)

I’ll Be There For You – Theme from Friends
(Michael Skloff, arr. Neemias Santos)

The Simpsons Theme
(Danny Elfman, adap. Davi Coelho)

Família Adams
(Vic Mizzy, arr. Neemias Santos)

The Pink Panther
(Henry Mancini, arr. Neemias Santos)

Game of Thrones – Main Title
(Ramin Djawadi, arr. Neemias Santos)

The Walking Dead/House/Arquivo X – Medley
(adap. Davi Coelho)