Passageiros reclamam da demora de ônibus mesmo com esquema especial de trânsito

Após reclamações sobre a falta de ônibus e de táxis em Porto Alegre no primeiro turno, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) determinou que circulassem 40% a mais de ônibus neste dia de eleição, com passe livre. Para este domingo, estavam previstas mais de 15 mil viagens de ônibus. Em um domingo convencional, são 10,7 mil. As avenidas Bento Gonçalves, Assis Brasil, Protásio Alves, Ipiranga e João Pessoa, entre outras, foram as que receberam mais reforço. Mesmo assim, os usuários mantinham críticas à oferta de veículos.

“As empresas deixam muito a desejar. Em um dia como hoje, que eles sabem do excesso de pessoas que precisam sair pra rua, não colocam os melhores carros, pelo contrário. Fica uma situação caótica, a gente fica horas esperando”, critica o alfaiate Éder Sauri, 23 anos. A motorista da empresa Unibus Amanda Souza estima que tempo de espera por um ônibus estivesse em torno de 30 minutos.

A Carris, maior empresa de transporte coletivo da Capital, coloca na rua, de segunda a sexta-feira, 335 ônibus. Aos sábados, a frota em circulação reduz para 60% (201 carros), e no domingo, para 40% (134). Hoje, devido ao pleito, 80% dos ônibus da Carris (268) estariam trafegando.

Para o taxista Luís Moacir Guterres Barboza, que trabalha na atividade há 25 anos, a falta de táxis se justifica pela vulnerabilidade da profissão: “A maioria dos taxistas trabalham por conta própria e decidem quando vão pegar o carro, assim como eu”. Ele destacou, enquanto aguardava sua esposa votar, que táxi existe de sobra na Capital e que não houve nenhuma orientação por parte da prefeitura para que os profissionais trabalhassem no dia da eleição.

Em consequência, faltam veículos, e os usuários reclamam. Um exemplo disso é a professora aposentada Maria Branda, que no final da manhã desistiu de esperar táxi, em frente à PUCRS, e optou por voltar para casa da filha com lotação. “Estou aqui há mais de uma hora e não consegui táxi”, lamentou Maria.

Foto: Frederico Martins (6º semestre)