Pesquisa aponta aumento no preço e queda nas vendas dos livros no Brasil

No primeiro trimestre de 2019, o faturamento e o número de livros vendidos caíram 30% em relação ao mesmo período de 2018

  • Por: Lara Moeller (1º semestre) e Lourenço Marchesan (5º semestre) | Foto: Muriell Custódio (Arquivo Editorial J) | 25/04/2019 | 0

O dia mundial do livro é motivo de orgulho para escritores e livrarias desde 1995, quando a Unesco celebrou pela primeira vez a data. Poucos sabem que em 23 de abril, Shakespeare, Miguel de Cervantes e Inca Garcilaso de la Vega morreram, motivo que levou a instituição a homenagear os autores que marcaram época na literatura. Ainda que promoções e lançamentos tenham acontecidos nesta terça-feira (23), o cenário atual é de reflexão e com baixos índices de leitura no Brasil.

O primeiro trimestre de 2019 registrou queda de 25% no faturamento de vendas no Brasil em relação ao mesmo período de 2018, segundo a última pesquisa feita pelo Painel de Vendas de Livros no Brasil. O levantamento também cita a queda de 30% no país em número de exemplares, com 1,2 milhão de livros a menos nos primeiros três meses deste ano. 

Milton Ribeiro, dono da livraria Bamboletras, de Porto Alegre, confirma essa queda.  Embora não tenha um sistema interno na loja que permita uma contagem exata do número de livros vendidos, o empresario diz que entre 2017 e 2018 a queda foi brusca e que este ano a tendência de redução se mantém. Além disso, Ribeiro destaca que em 2019 o preço ao consumidor subiu consideravelmente  e o número de exemplares vendidos diminuiu.

Um dos fatores que colabora com a significativa queda da venda de livros nos últimos anos é o custo da mercadoria. De 2018 para 2019, o preço médio subiu de R$ 42,77 para R$ 45,73, resultando em um aumento de 6,92%. O desconto médio oferecido pelos comerciantes aos clientes também diminuiu nesse período, caindo de 22,21% para 15,57%.

A assessora de imprensa da Sindicato Nacional dos Editores de livro, Mariana Fragoso, revela um cenário pessimista diante da situação econômica do Brasil. No final, o Dia Mundial do Livro serve para pensar em novas alternativas que visem um futuro mais positivo para esta história.