Porto Alegre promove sua primeira feira vegana

Alguns dos produtos vendidos na feira, entre eles pasta de soja e requeijão de soja.
Ocorreu neste domingo, 09 de novembro, a 1ª Feira Vegana de Porto Alegre, na Casa Liberdade. O evento organizado por Taís Duranti Pereira e Márcio Brufatto, seu esposo, teve mil pessoas confirmadas no Facebook e contou com cinco expositores de produtos, entre eles alimentos, cosméticos, produtos de higiene e limpeza, e duas empresas oferecendo refeições, tudo exclusivamente vegano.

O veganismo prega, além de uma alimentação sem nada de origem animal, um estilo de vida que busca eliminar qualquer exploração, no vestuário, no trabalho, comércio, em testes e no entretenimento. Taís, que é vegetariana há dez anos e vegana há cinco anos, e Márcio, vegetariano há dez anos e em atual transição para o veganismo, também são os idealizadores da empresa de tele-entrega de produtos veganos, Delivery Veg, criada em julho deste ano.

“A ideia surgiu primeiramente do delivery. A gente queria abrir um mercado vegano na cidade, nos mesmo moldes de um mercado tradicional, com tudo o que um oferece, mas encontramos dificuldades em abrir uma loja física, então decidimos criar um delivery”, explica Taís, que, desde o início do empreendimento, quis criar uma feira para reunir pessoas adeptas ou que tenham interesse no veganismo para divulgar não só os seus produtos, como os de outros trabalhadores da área. “A gente tem que se unir, tanto como vegano quanto como comerciante. Se não existe uma união entre determinada classe as coisas ficam mais complicadas.”, completa.

O evento, que durou as 11h às 21h, contou com almoço vegano, orgânico e sem glúten no valor de R$ 16,00 por pessoa, brechó beneficente de grupos que cuidam de animais carentes na capital, palestras e rodas de conversa. Durante o evento, o coletivo Vanguarda Abolicionista orientou as pessoas acerca do veganismo, distribuiu material educativo sobre os direitos dos animais e vendeu camisetas com o tema. Mais tarde, às 17 horas, houve uma roda de conversa, onde a nutricionista especializada em dieta vegana Natasha Shiva Martins orientou quem tinha dúvidas e interesse sobre a dieta vegana. Já às 18h ocorreu palestra “A Nova Ordem Munidal, um mundo livre de exploração animal” da psicóloga, socióloga e ativista Eliane Carmanim Lima, sobre os direitos dos animais. A janta ficou por conta dos hamburgueres da Vegga, que custavam R$10,00, R$12,00 ou R$14,00, dependendo do sabor.

Hambúrguer Vegano da Vegga Burger, no sabor “Bacon” de Shitake.
A feira foi visitada por centenas de pessoas, de acordo com os organizadores. Segundo Taís, muitos produtos foram vendidos antes do início da tarde, o que foi uma surpresa para os expositores do evento: “Muita gente que compareceu à feira não é vegana ainda, mas estava em busca de conhecer os produtos. Também havia pessoas interessadas em alimentos naturais, sem glúten e açúcar, e intolerantes à lactose. Muitos saíram daqui mais conscientes, depois de conversar com os ativistas e expositores das ONGs.” A ideia é que, a partir de agora, a feira ocorra mensalmente. “Provavelmente haverá uma nova feira em dezembro, com alimentos, produtos e opções de presente de natal”.

Para acompanhar as próximas feiras, basta acessar a página do Delivery Veg

Texto e fotos: Cláudia dos Anjos (6º Semestre)