Porto Alegre quer atender e ampliar visitantes LGBTs

Através de workshops, Secretaria do Turismo visa capacitar gestores de hotéis, bares e restaurantes para melhor atender o público gay.

  • Por: Germano Durand (3º semestre) | Foto: Wellinton Almeia (1º semestre) | 14/09/2015 | 0

Workshop LGBT-6985

Joana Braga é uma das idealizadoras do projeto Porto Alegre LGBT, que visa  mapear e qualificar as ofertas turísticas já existentes na capital. 

Colocar Porto Alegre entre os sete principais destinos do público gay-friendly no país é o objetivo da Secretaria Municipal de Turismo. Isso vai inserir “a cidade nas ações e campanhas promocionais da Embratur no mercado internacional com foco neste segmento”, destacou o secretário Luiz Fernando Moraes. Para isso, na quinta (10/9) e sexta-feira (11/9), foi realizado, na Secretaria de Turismo, um workshop de capacitação para atendimento ao turista LGBT.

A iniciativa visa capacitará gestores da área de hotéis, bares e restaurantes da cidade para melhor atender e conquistar este público que representa 10% dos viajantes e movimenta 15% do faturamento do setor, segundo a Organização Mundial do Turismo, o público LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e travestis) representa 10% dos viajantes e movimenta 15% do faturamento do setor.

Uma das responsáveis pela capacitação é a presidente da Associação Brasileira de Turismo LGS, Marta Dalla Chiesa. Graduada em Agronomia na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Marta é hoje um dos principais nomes quando o assunto é turismo LGBT. Segundo ela, este é um mercado interessante em termos de turismo para a cidade. Através de seminários e debates que se pode enfatizar o perfil do visitante. Nas palestras são abordadas “a diversidade sexual e identidades de gênero, bem como um conhecimento histórico do LGBT, para desmistificar o que é esta comunidade”,resumiu. Ela destacou ainda a importância do papel dos profissionais da área de hospedagem e gastronomia, pois são eles que devem mostrar que Porto Alegre é uma cidade amigável.

Além de Marta Dalla Chiesa, outro nome importante para este processo de capacitação é Joana Braga, idealizadora do projeto Porto Alegre LGBT, programa que conta com o auxílio da Secretaria Municipal de Turismo e visa mapear a oferta turística já existente na cidade e qualificar o atendimento receptivo local. Segundo ela, nos dois dias, 80 gestores das áreas de gastronomia e hospedagem passaram pelo curso. ”No futuro nossa ideia é aumentar o público para quem trabalha na linha de frente do receptivo turístico, como recepcionistas, garçons, pessoas que lidam exclusivamente com o atendimento ao turista LGBT”, anunciou.

Joana destacou ainda a importância de qualificar o serviço da cidade, antes de indicá-lo a um viajante. Pesquisas recentes apontam que o turista LGBT busca segurança e um bom atendimento. Ela salientou que, muitas vezes, há dificuldades dos estabelecimentos em atender este tipo de turista e isso acontece ”não são por homofobia, mas por desconhecimento da melhor forma de tratar o turista LGBT. Como chamar um transexual ou um travesti. No caso de ser um casal homoafetivo, oferecer uma cama dupla ou single? É esse tipo de informação que será prestada neste momento e que é importante para a qualificação do serviço na cidade.”