Prefeitura estuda reforma da Ponte de Pedra

Desde 2012, Ministério Público aponta necessidade de recuperação do local.

  • Por: Helena Rocha (3º semestre) | Foto: Yanlin Costa (4º semestre) | 24/06/2015 | 0

_MG_9692

Uma série de interferências realizadas entre fevereiro e abril desfiguraram a paisagem do Largo dos Açorianos, no centro de Porto Alegre. O lago foi esvaziado, embora atualmente acumule água da chuva e lodo. No entorno, o gramado está mal cuidado e há trechos sem vegetação. A Ponte de Pedra, um dos monumentos históricos mais importante da cidade, datado do século 19, encontra-se pichada. Parte dessa situação deve-se à resposta da prefeitura a uma ação do Ministério Público (MP) que, desde 2012, por meio de um inquérito civil, discute ações para a recuperação do largo. O aspecto de abandono causa dúvidas na população e questionamento sobre a paralisação das obras.

A Secretária Municipal do Meio Ambiente (Smam) é o órgão da prefeitura responsável por revitalizar o local. Antes de começar as obras, ela contratou uma empresa especializada em consultoria de restauração para analisar a situação da ponte, que é o principal interesse da iniciativa do MP devido à importância histórica da estrutura. Ela foi construída por escravos entre 1842 e 1848, a mando do Conde Caxias, para ligar o centro à zona sul da Capital. Foi tombada como patrimônio histórico em 1979.

A água que atingiu os alicerces da Ponte de Pedra está causando estragos à estrutura. As escavações começaram para definir o nível que ficará a água do lago. Durante a retirada de terra, foi encontrada uma rede do Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) que passava junto ao lago. A rede foi danificada, e para que as obras não sejam prejudicadas, a rede será desviada. O resultado da análise determinará como a Smam vai prosseguir no planejamento. O projeto vai ser executado por arquitetos do órgão.

O processo de finalização e execução só ocorrerá depois que a Smam receber o resultado da análise. “Nós estamos trabalhando no projeto para fixar melhoras nas bordas do lago que estavam muito danificadas e também para deixar o entorno do lago mais atrativo porque aquele espaço é muito frequentado. As pessoas transitam pela ponte, a utilizam como passagem. E tudo isso vai ser trabalhado para que fique melhor urbanizado aquele espaço”, explica Léo Bulling, supervisor de Praças, Parques e Jardins da Smam.

A Smam recebeu no dia 20 o levantamento cadastral da Ponte de Pedra. A partir da análise, desenvolverá um projeto de revitalização que deverá respeitar critérios de preservação do patrimônio histórico. “Estamos esperando este levantamento para poder traçar todas as diretrizes. Tem coisas pensadas, mas ainda em desenvolvimento”, esclarece Alex Souza, arquiteto da Smam. Desde a década de 1970 o lago não teve uma intervenção tão expressiva, por isso está comprometendo a estrutura da ponte.