Primeira Parada Sustentável começa a operar com energia solar

Sistema on grid está à disposição dos usuários do transporte coletivo no bairro Moinhos de Vento e gera energia para quatro entradas USB e uma tela LED

  • Por: Camila Pereira (2º semestre) | Foto: Giulia Cassol (3º semestre) | 11/04/2018 | 0

A primeira Parada Sustentável de Porto Alegre foi inaugurada no dia 26 de março como um presente para os 246 anos da cidade, porém o fornecimento de energia solar começou a operar na última sexta-feira (6). Localizada na Avenida Goethe, em frente ao Parque Moinhos de Vento, a Parada Sustentável possui sistema fotovoltaico On Grid, capaz de encaminhar a energia excedente para a rede convencional de energia elétrica da cidade, podendo gerar abatimento na conta de luz da Capital. O projeto conta com quatro entradas USB para carregamento de aparelhos eletrônicos e uma tela LED de 32 polegadas.

O funcionamento da parada de ônibus ainda gera curiosidade nos usuários. Apesar do sistema estar operando desde sexta, as entradas USB têm sido pouco utilizadas e a tela ainda aguarda liberação da EPTC (Empresa Pública de Transporte e Circulação) para ser ligada. A programação que será vinculada terá 40% do tempo destinado ao Shopping Total, responsável pelo financiamento da parada, 20% destinados à TodaVida e 40% utilizados pela própria EPTC.

 

 A TodaVida ainda aguarda parceiros para dar continuidade ao projeto Parada Sustentável, previsto para ser implementado em mais cinco pontos da cidade: em frente ao Barra Shopping, na Avenida Diário de Notícias, em frente Praia de Belas Shopping, na Avenida Ipiranga; em frente ao Colégio Rosário, na Avenida Independência; em frente ao Shopping Iguatemi, na Avenida Nilo Peçanha, e mais um local que deve ser definido pela EPTC.

A ONG destaca que o projeto não possui investimento da Prefeitura de Porto Alegre, sendo financiado por meio de parcerias com a iniciativa privada, que pagará por dois anos de propaganda institucional. O valor para a construção das paradas dependerá do desenho projetado para cada local, dos materiais escolhidos e da capacidade de geração de energia.

Usuários do transporte coletivo avaliam a implementação do projeto. O artista plástico Reginaldo Portoalegre, 58 anos, se disse otimista quanto a conservação da parada e destacou que “essa já é uma zona privilegiada, acho que também podem levar a ideia para as comunidades, elas vão ajudar a proteger”. Em contrapartida, o técnico de informática Jonatas Anjolin, 21 anos, apontou que conservar a estrutura é um desafio, “apesar de ser um bairro nobre, há o vandalismo, o pessoal não cuida”.

Lígia Miranda, engenheira da Todavida, ressaltou que a ONG possui mais projetos de sustentabilidade para a cidade. Ela destacou que já foi implementado o Parklet da Praça da Matriz, onde há uma área de convivência sustentável, com vegetação, separação de resíduos e bicicletário. Estão em andamento os projetos Viadutos Vegetados, que pretende colocar vegetação nas paredes e pilares dos viadutos, Microfloresta Urbana, que prevê a plantação de 300 mudas nativas frutíferas em seis das 35 vagas de estacionamento ao lado do Chalé da Praça XV, e o Parque Linear do Arroio Passo Fundo, com o objetivo de restaurar a mata ciliar  e promover a educação ambiental da população do entorno.