Sartori é eleito

  • Por: | 26/10/2014 | 0

Com uma campanha ancorada no tema “O meu partido é o Rio Grande”, José Ivo Sartori (PMDB) elegeu-se governador do Rio Grande do Sul com mais de 3,8 milhões de votos, o equivalente a 61,21% dos votos válidos. Ele votou perto das 13h em Caxias do Sul e comentou aos jornalistas que não estava querendo “cantar vitória”. Reforçou que as pesquisas estavam no coração de cada gaúcho. A coligação que apoia Sartori é formada, além do seu próprio partido, por PSD, PPS, PSB, PHS, PTdoB, PSL e PSDC.

Professor de filosofia, Sartori tem 66 anos e nasceu no município de Farroupilha. O futuro governador é casado com a deputada estadual Maria Helena Sartori (PMDB), com quem tem dois filhos: Marcos e Carolina. Começou a carreira política em 1976, quando se elegeu vereador em Caxias do Sul. Em 1978, presidiu o Diretório Central dos Estudantes do Colégio do Carmo.

Sartori conquistou cinco mandatos consecutivos para a Assembleia Legislativa a partir de 1982. Entre 1987 e 1988, foi secretário estadual do Trabalho e Bem Estar Social. Concorreu quatro vezes ao cargo de prefeito de Caxias do Sul: 1992, 2000 e 2004, quando se elegeu com 52, 43% dos votos, e 2008, quando foi reeleito com 54, 35% dos votos válidos contra 45, 65% do candidato derrotado, Pepe Vargas (PT).

Durante os oito anos que comandou a prefeitura da cidade, priorizou fortemente as áreas de saúde, segurança e educação. Promoveu reformas nas Unidades Básicas de Saúde, colocou patrulhamento nas ruas e possibilitou que Caxias do Sul fosse a primeira cidade a utilizar coleta de lixo automatizada. A maior reforma de Sartori, analisada pela população, caxiense foram as mudanças no trânsito com a construção de rótulas e viadutos para desafogar o trânsito.

Durante a campanha para governador, foi duramente criticado pela falta de propostas, tanto por seus concorrentes quanto pela imprensa em geral. Seus defensores argumentavam que, nos anos em que governou a cidade gaúcha, Sartori também era adepto de mais ação que palavras. Mesmo assim, o futuro governador travou debates importantes, como a renegociação da divida do Estado com a União, além de rotular Tarso como candidato de propostas não cumpridas. Disse que pretendia enfatizar mudanças nas áreas de saúde, educação, segurança e infraestrutura, não informando propostas específicas.

Na chegada aos compromissos da manhã deste domingo, o candidato cumprimentou os jornalistas com um sorriso no rosto e um adesivo do partido no peito. Ainda conversou com estudantes na PUCRS e na Rádio Guaíba, como se estivesse sem pressa para os compromissos. Em Caxias do Sul, próximo às 17h, militantes e afiliados ao partido se uniram no Diretório Municipal do PMDB.

Essa é a segunda vez que um ex-prefeito de Caxias do Sul ocupa o governo gaúcho. O primeiro foi Euclides Triches, indicado pelos militares. O novo governador assume o mandato em 1º de janeiro de 2015.

Texto: Júlia Bernardi (4 sem.)