Ser Papai Noel é a alegria do carteiro

Um dos símbolos do Natal é o Papai Noel. E os Correios confirmam isso: são três bons velhinhos que participam do projeto Papai Noel dos Correios, que entrega presentes a crianças carentes até o dia 10 de janeiro.

Um deles é o carteiro Paulo Fernando Rigolli, funcionário há 32 anos. Já são 11 anos participando do projeto que, para ele, é uma experiência emocionante. “Quando vou entregar os presentes, vejo que o trabalho que tenho aqui é compensado lá”, conta.

Leia também: Papai Noel dos Correios distribui cartas até dia 19

O carteiro, em outras épocas do ano, cumpre de 6 horas diárias – das 9h às 15h. No período do Natal, a jornada de trabalho pode dobrar, Paulo chega às 8h e não tem hora para sair. Ele não recebe salário a mais dos Correios. “Faço como voluntário. É o período do ano em que posso me dedicar a algo mais”, explica.

O cansaço é sempre compensado com a entrega dos presentes. Certa vez, Paulo e a equipe dos Correios presentearam cerca de 350 em um só dia. “É olho no olho. Aquilo mexe comigo”, emociona-se. Os pedidos são levados a crianças que escreveram cartinhas para a empresa – e podem ser entregues aos Correios até o dia 20 de dezembro.

Assista, no vídeo abaixo, depoimento do Papai Noel Paulo sobre a sua experiência com o projeto.

Texto: Bibiana Meneghini Dihl (6º semestre)