Simpa move representação judicial contra agressor de servidores

Agressão com bastão retrátil contra manifestantes do Sindicato ocorreu na manhã de quarta-feira (21), em frente à Prefeitura

  • Por: Gabriel Bandeira (3º Semestre) | 22/06/2017 | 0

Durante briga com municipários em frente ao Paço Municipal, três pessoas foram detidas pela Guarda Municipal e levadas à 17ª Delegacia de Polícia de Porto Alegre. Entre os detidos, estavam os youtubers Arthur Moledo do Val, do canal “Mamãe Falei”, e Rafinha BK, que não recebeu acusações.

O diretor geral do Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa), Alberto Terres, conta que as agressões começaram quando os servidores questionaram as filmagens e fotografias ostensivas dos três homens. ‘Um deles sacou um bastão de ferro, que, segundo a própria Guarda Municipal, é considerada uma arma ilegal, atacando servidores e um dos nossos diretores”, conta.

Após o tumulto, servidores realizaram um boletim de ocorrência na delegacia. Agredido com um bastão retrátil por Márcio Gonçalves Strzalkowski, suposto membro do Movimento Brasil Livre (MBL), o diretor de Ações de Combate à Opressão do Simpa, Carlos Giovani Ramos Machado, prestou corpo de delito no Departamento Médico Legal (DML).

Depois de prestarem depoimento, os três homens e outros três integrantes do Simpa foram liberados. Entretanto, Terres afirma que o Sindicato entrará com representação judicial contra Strzalkowski por agressão e porte ilegal de arma.

Sucesso nas redes sociais, Arthur do Val foi conduzido em decorrência da acusação de uma servidora por uso indevido de imagem. Ele filmava o ato contra as medidas de austeridade do prefeito Nelson Marchezan Jr. (PSDB). Em entrevista à rádio da Capital, Do Val negou que o agressor e um segundo segurança trabalhassem para ele. Contrário, Terres sustenta que os dois homens detidos já foram vistos em outros protestos da categoria.

Na manhã de quarta-feira, os manifestantes protestavam contra o parcelamento dos salários e o PL 04/2017, encaminhado para a Câmara de Vereadores, que prevê o aumento da contribuição dos servidores municipais ao Previmpa de 11% a 14% de seus salários. Contudo, a votação foi adiada devido ao pedido de vista do projeto do vereador Márcio Bins Ely (PDT).

Na próxima sexta-feira (30), haverá uma segunda reunião da mesa de negociação com o Governo, sobre a pauta de reivindicações dos sindicalistas referente à campanha salarial.