Sofrenildo, agora, está no Delfos

Acervo do cartunista Sampaulo é doado ao Espaço de Documentação e Memória Cultural da Universidade (Delfos) da PUCRS

  • Por: Bárbara Assmann (1º semestre) | Foto: Alicia Porto (5º semestre) | 16/05/2017 | 0
IMG_4623
O Espaço de Documentação e Memória Cultural da Universidade (Delfos) da PUCRS

Sofrenildo, o personagem mais famoso do artista gráfico Paulo Gomes de Sampaio (Sampaulo), agora, pode ser redescoberto pelas novas gerações interessadas em conhecer e pesquisar a obra do cartunista que viveu entre 1931 e 1999. Suas obras foram doadas à Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) em cerimônia realizada nessa segunda-feira (15).

Todo o acervo de SamPaulo foi doado ao Espaço de Documentação e Memória Cultural da Universidade (Delfos), localizado na biblioteca da PUCRS, como desenhos que fez na infância e tudo que ele havia guardado. O material que passa pela fase de catalogação e, depois, pela digitalização, poderá ser consultado por alunos de graduação e pós-graduação, ficando aberto à comunidade acadêmica.

Maria Lucia Sampaio, sobrinha de SamPaulo, cresceu vendo o trabalho do tio. “Bastou eu ficar adulta para entender a importância dele, uma de suas charges definiu a eleição de prefeito para Porto Alegre”, conta. Além disso, ele tinha uma importância social muito grande, suas publicações chegavam a pessoas de todos os níveis sociais. Seu tio não tinha receio em mostrar suas preferências tanto políticas quanto esportivas, sendo censurado uma vez, fazendo com que sua charge fosse publicada mesmo assim.

Agora, Maria Lucia pretende digitalizar o material de seu tio, para publicar em seu blog, em que comenta sobre as relíquias de SamPaulo, fazendo postagens sobre situações de hoje, mostrando que algumas charges podem servir para o momento atual do país. A escolha da PUCRS para abrigar o acervo se deve à confiança que a família tem no trabalho realizado pelo Delfos. “Haviam outras iniciativas de órgãos públicos, mas pelo conhecimento que o Delfos tem, aqui ele (acervo) seria melhor guardado e preservado”, diz.  

O cartunista nasceu em Uruguaiana e iniciou sua carreira no Jornal Clarim de Porto Alegre, quando adotou o pseudônimo SamPaulo. O artista trabalhou na revista do Globo e nos jornais Diário de Notícias, Folha da Tarde, Correio do Povo, Folha da Manhã e Zero Hora, onde encerrou a carreira. Na TV Piratini, emissora dos Diários Associados, desenhava ao vivo no programa semanal “Sampaulo e seus bichões”. Seu personagem mais famoso foi Sofrenildo, criado em 1966. Além das charges, serão doados seus livros: “De Pedro a Collor”, “Os Pecados da Língua” com Paulo Ledur (em quatro volumes) e “Sofrenildo”.