Cemitérios de Porto Alegre alojam pelo menos 300 mil mortos

Em 18 dos 19 cemitérios de Porto Alegre existem atualmente cerca de 300 mil jazigos. O primeiro sepultamento realizado na cidade foi o de João Hahm, em 11 de novembro de 1852, no Cemitério Evangélico Comunidade Evangélica de Porto Alegre, o mais antigo da capital. O levantamento é da equipe do Editorial J, que obteve dados da maior parte dos estabelecimentos de Porto Alegre, com exceção da Santa Casa, que não ofereceu informações.

Das 19 áreas destinadas a sepultamentos, três são públicas. O Cemitério Irmandade do Arcanjo São Miguel e Almas, situado na Avenida Oscar Pereira, é o que possui o maior número de pessoas enterradas, 75 mil. No outro extremo, a área com o menor número de jazigos é o Cemitério Espanhol, situado no bairro Medianeira, com apenas 492 sepulturas e desativado desde dezembro de 2000.

Apesar da maioria das famílias reverenciarem os parentes mortos e cuidarem dos seus restos mortais, nem sempre a tradição é preservada. No Cemitério da Igreja Batista, localizado na avenida Porto Alegre, os corpos sepultados não ultrapassam os 50 anos. Isso mostra que nem sempre os netos das pessoas enterradas continuam contribuindo com o aluguel dos túmulos dos seus avós. Nestes casos, a sepultura é repassada para outra família ocupar o espaço com seus falecidos.

Com mais de 40 mil pessoas enterradas, o cemitério Jardim da Paz, na Lomba do Pinheiro, tem o maior número de vagas disponíveis, tantas que administração não sabe precisar. Enquanto isso, os cemitérios municipais não possuem nenhuma vaga, além das que já estão com as famílias possuidoras de concessão anterior a 1975. Os atuais interessados em jazigos municipais precisam procurar a central de atendimento funerário da Prefeitura de Porto Alegre. Caso tenham seu pedido aceito, são encaminhados ao Serviço de Enterro do Carente.

Os preços cobrados pelos jazigos variam de cemitério para cemitério. Uma das áreas mais caras para a compra de jazigo perpétuo é o cemitério Jardim da Paz, onde os valores variam de R$ 5 mil até 36 mil. As sepulturas mais baratas, com exceção dos cemitérios públicos, ficam no Cemitério São José Vila Nova, no qual é possível adquirir um jazigo a partir de R$ 650. Outra forma de sepultamento, de menor custo, é o serviço de aluguel, sendo o Cemitério da Sociedade Beneficente Nossa Senhora de Belém o mais barato, cobrando R$ 750 por um arrendamento de três anos. No cemitério da Comunidade Evangélica de Porto Alegre, o mesmo serviço custa R$ 1800.

Texto: Augusto Lerner (3º sem), Anselmo Loureiro (3º sem) e João Pedro Arroque Lopes (5º sem)

Fotos: Emilio Camera (3º sem), Gabriela Pedroso (1º sem) e Guilherme Almeida (4º sem)