Uma passarela de sonhos

Entre tendências de moda e modelos esguias e altamente produzidas estavam na tarde da última quinta-feira, 10 de abril, crianças fantasiadas que roubaram sorrisos e lágrimas de quem as assistia.

No último dia de desfiles do Donna Fashion Iguatemi, tradicional evento de moda da capital, alunos da Fundação O Pão dos Pobres, dez das 21 crianças que participaram do projeto Por Trás dos Sonhos, desfilaram figurinos inspirados nos seus sonhos.

No projeto, criado no final de 2013 pela agência DM9Sul, 21 crianças pintaram em telas os seus maiores sonhos. No verso das pinturas, artistas plásticos convidados retrataram, com um viés lúdico, a realidade dessas mesmas crianças. As obras estão à venda, e os recursos arrecadados serão destinados à instituição, que beneficia 1,3 mil crianças e adolescentes na Capital gaúcha.

Como uma maneira de ajudar as crianças a enxergarem a possibilidade de realizarem os seus sonhos, a produtora de moda Elene Abrahão topou o desafio de criar os figurinos com dois fatores dificultadores, pouco tempo e a inexistência de verba.

Dez crianças desfilaram no Donna Fashion Iguatemi.

– A agência me convidou para participar e na hora topei. Por quê? Por causa das crianças. Procurei fornecedores parceiros, que trabalham normalmente comigo, e todos abraçaram a causa – conta Elene.

Segundo a coordenadora de marketing Cíntia Kunzler, o shopping tem o costume de apoiar instituições que fazem bons trabalhos para determinadas parcelas da sociedade.

– Nós acreditamos no trabalho de diversas instituições e pensamos que por termos uma forte influência na sociedade, com o nosso apoio esses projetos podem ser vistos por mais gente – conclui Cíntia.

Para o Pão dos Pobres, a visibilidade é o fator mais importante, pois a instituição se mantem apenas através de doações. Todas as crianças apoiadas vêm de uma situação de vulnerabilidade muito grande e com a missão de formar cidadãos, a fundação busca construir a autoestima de cada um.

– Esta oportunidade foi muito importante na vida destas crianças por eles se sentirem bem de estar ali, com pessoas que tem a realidade diferente da deles, sendo o centro das atenções. Isso faz com que eles possam sonhar ainda mais – afirma Antônia Abichequer, relações públicas da fundação.

Os sonhos desfilados:

Ana Luísa – ser cantora

Kauã – cuidar de um Zoológico

Kimberly – conhecer o mar

Larissa – ter uma festa de 15 anos e entrar com o Neymar

Luan – ser soldado

Marco Aurélio – ser como o Michael Jackson

Maria Eduarda – ser bombeira

Nicole – ser jogadora de futebol

Sharon – ser modelo

Victória – se formar

Texto e fotos: Elisa Celia (8º semestre)