Usuários reclamam de falhas no aplicativo e da pouca quantidade de bicicletas

Em operação na Capital desde 2012, aplicativo BikePoa possibilita o aluguel de bicicletas por preços acessíveis

  • Por: Flávia Pereira (1° semestre) | Foto: Nádia Probst (1° semestre) | 14/11/2017 | 0
Entre os problemas citados está o baixo número de bicicletas disponíveis nas estações
Entre os problemas citados está o baixo número de bicicletas disponíveis nas estações

O serviço de aluguel de bicicletas em Porto Alegre tem problemas. Pneu furado, erros no aplicativo, wifi nos postos que não funcionam, problemas na liberação de bicicletas e o número de bikes nas estações são os pontos negativos apontados pelos usuários do aplicativo BikePoa.

A advogada Diowânia Ferreira, 28 anos, é usuária do aplicativo BikePoa há três anos. Diowânia utiliza os serviços nos finais de semana, para passear. Ela relata que as bicicletas estão na estação, mas não aparecerem no aplicativo algumas vezes. O contrário também acontece: as bicicletas aparecem disponíveis no aplicativo e, não, na estação. As estações onde ela costuma pegar as bicicletas são do Parque Farroupilha e junto ao supermercado Nacional da Avenida Nilo Peçanha.

A estudante de jornalismo Júlia Bueno, 20 anos, utiliza o serviço uma vez por semana, com o intuito de praticar exercício físico. Ela conta que usaria mais o aplicativo se houvesse mais bicicletas nas estações e menos problemas. Júlia teve problemas com a liberação de bicicletas, como ela estar disponível para aluguel e não destravar da estação.

O também estudante de jornalismo Nícolas Gheno conta que tenta usar o serviço diariamente, mas nem sempre consegue devido à falta de bicicleta nas estações próximas. Assim como aconteceu com Júlia, ele não conseguiu retirar bicicletas que estavam na estação. Gheno conta que adquiriu um passe mensal do BikePoa e que durante 10 dias tentou utilizar o serviço e não conseguiu. Ele entrou em contato com o atendimento por telefone e teve a assinatura prorrogada, em função dos dias que tentou alugar uma bicicleta e não conseguiu.

Mudanças no sistema de de aluguel de bicicletas deve chegar às ruas até o fim de 2017
Mudanças no sistema de de aluguel de bicicletas deve chegar às ruas até o fim de 2017

A Tembici, empresa responsável pelo aplicativo BikePoa, informou que as reclamações sobre o aplicativo são poucas e a maioria das intermitências são devido à conexão 3g e 4g. Até o final de 2017, um novo modelo de BikePoa chegará às ruas. O desenvolvimento do aplicativo atual segue congelado, para a substituição para um novo sistema.

As bicicletas novas apresentarão um design mais moderno, com cesto adaptável, um novo sistema de freios para freadas mais seguras e mudança no aro dos pneus. Nas estações, a média de vagas sobe para 18 e quiosques com interface de pagamento digital serão instalados. No aplicativo será possível ver as estações favoritas, encontrar bicicletas disponíveis por ponto de devolução e encontrar as estações mais próximas usando o gps.

A empresa alega que manutenção das bicicletas do BikePoa é feita diariamente. A Tembici tem uma oficina dedicada a manutenções corretivas e preventivas das bicicletas.

O BikePoa opera desde 2012 em Porto Alegre. Os usuários cadastrados podem alugar bicicletas diariamente ou mensalmente. O passe diário custa R$ 5 e o mensal R$ 10. O serviço conta com 400 bicicletas disponíveis para aluguel em 41 estações distribuídas pela cidade. De acordo com Tembici, são 90 mil usuários cadastrados.