Votação paralela atesta confiança na urna

Demonstração ocorreu no prédio 50 da PUCRS

Texto e foto: Roberta Requia (1° sem.)

_MG_0759

Uma demonstração sobre o funcionamento das urnas eletrônicas ocorreu no no prédio 50 da PUCRS, durante o segundo turno da eleição. A chamada votação paralela é promovida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e realizada por seus funcionários.

Um dia antes da votação, uma urna de cada cidade que participe do segundo turno é sorteada em audiência pública. Neste ano, o processo ocorreu nass cidades são Porto Alegre, Caxias do Sul, Santa Maria e Canoas. Cada uma das urnas é trazida até o local onde a votação paralela será realizada, no caso da Capital, a PUCRS, por ser o maior colégio eleitoral da capital. A votação paralela ocorre desde 2002 e tem como principal objetivo demonstrar e comprovar o funcionamento assim como a confiabilidade das urnas eletrônicas.

Na mesma audiência em que as urnas foram sorteadas, os filiados dos partidos participam da simulação da votação e registram seu voto em uma cédula de papel, que são depositadas em uma caixa que deve ser lacrada na presença dos fiscais do TSE.

No dia seguinte, as caixas lacradas e as urnas sorteadas são trazidas até o local da votação paralela, onde os votos registrados nas cédulas são contabilizados nas urnas e devem corresponder, no final do dia, ao resultado compatível com os votos da caixa. Qualquer pessoa tem o direito de pedir uma demonstração do funcionamento da urna, onde serão orientados por funcionários do TSE presentes no local.

_MG_0767