Votação para regulamentar o Uber é adiada para a próxima segunda-feira

Apenas a primeira emenda foi votada e aprovada

  • Por: Daphne Constantinopolos (2º sem.) e Victoria Lermen (3º sem.) | Foto: Annie Castro (5º sem.) | 01/10/2016 | 0

29734499840_4d19a73741_o
O projeto que regulamenta os aplicativos de transporte individual de passageiros ainda não foi votado, mas já tem emenda. Esse foi um dos saldos da votação do PL nº 14/16 discutido das 14h15 às 19h45  pelos vereadores na Câmara Municipal na última quinta-feira. A emenda de número um, colocada em discussão e aprovada por 16 votos sim contra 8 foi apresentada pelos vereadores Bernardino Vendruscolo (PROS), Idenir Cecchim (PMDB) e Dr. Thiago (DEM), e permite a instalação de equipamentos de áudio e vídeo para a gravação das viagens nos carros que trabalham com aplicativos tipo Uber. A votação será retomada somente na segunda-feira.

Apesar da adoção de um sistema rigoroso de controle de segurança, a sessão iniciou com protestos e discussões nas galerias, que estavam divididas entre motoristas de Uber e de táxi. A maior das confusões ocorridas se deu em razão de alguns taxistas terem se infiltrado entre os motoristas dos aplicativos, burlando o credenciamento para a entrada na sessão. Após a retirada deles, outros enfrentamentos ocorreram, todos controlados com rapidez. Membros da Guarda Municipal estavam a postos, mas a segurança da Câmara não precisou de ajuda.

O Editorial J conversou com o vereador Adeli Sell do Partido dos Trabalhadores (PT), cujo posicionamento é contrário às emendas, e favorável ao projeto. Segundo ele, é um absurdo o número de emendas para a normatização e a legalização do Uber em Porto Alegre. “Para mim isso não passa de um jogo dos vereadores para ficar discursando e se promovendo em época eleitoral, principalmente os vereadores Janta e o Comassetto”, disse. O vereador Adeli ainda acrescenta que essas emendas não vão melhorar o transporte e sim transformar o Uber e demais aplicativos do gênero em um “Frankenstein”.

Durante o discurso de Adeli ocorreram fortes manifestações dos taxistas que estavam na Câmara assistindo a sessão. Um taxista exaltado exibiu notas de cinquenta reais ao vereador petista, que ofendeu-se com o ato e prometeu processar o manifestante assim que houver identificação.