As histórias não contadas do continente africano

O pouco espaço da cobertura jornalística sobre o continente africano e as alternativas quanto a isso

  • Por: Daniela Flores (5 semestre) | Foto: Doug Linstedt/Unsplash | 18/07/2019 | 0
O surto de ebola na África, ocorrido em 2014 tomou destaque na mídia internacional e passou a estimular uma discussão, sobretudo na internet: por que há pouco espaço e conhecimento a respeito do continente africano no jornalismo? Quando isso acontece, está ligado a incidentes ou tragédias.
Apesar disso, a África tem características próprias e peculiares, e nos transmitiu uma vasta herança cultural. Na reportagem em áudio, “O que você pensa quando falamos da África?”, a repórter Daniela Flores traz depoimentos, como da pesquisadora assistente do Centro Brasileiro de Estudos Africanos (CEBRAFRICA) da UFRGS, Rafaela Serpa, que reflete sobre o modo de conseguir informações sobre o continente.
O professor de jornalismo da PUCRS, Antônio Hohlfeldt, ressalta a falta de espaço nas manchetes e discorre sobre o tema e o professor da PUCRS e formado em história pela Universidade de Coimbra, Marçal de Menezes, se mostra intrigado com a insistência de uma determinada imagem de um continente tão diverso. Também participa o mestre e doutorando em história pela PUCRS, Pedro Borba, evidenciando a importância de mídias alternativas.

Deixe um comentário